Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 25 de Maio de 2024

Sidrolandia

No rádio, Serra destaca origem humilde e Lula protagoniza estreia de Dilma

Marina Silva defende o meio ambiente e Plinio Arruda ressalta sua experiência

R7

17 de Agosto de 2010 - 08:13

O horário eleitoral gratuito no rádio começou nesta terça-feira (17), às 7h, com a propaganda do candidato à Presidência José Serra (PSDB). Com um apresentador e dois personagens de sotaques diferentes, um morador da Bahia e outro de Minas Gerais, a inserção destacou as realizações de Serra na área da saúde, como a liberação dos remédios genéricos, a vacina contra gripe para idosos e a ampliação do programa Saúde da Família. Trechos do sucesso de Elba Ramalho Bate Coração são usados: "tum, tum, bate coração; oi, tum, coração pode bater".

Seguindo o tom popular, a propaganda contou a biografia do candidato, reforçando a origem humilde e uma “história de luta e trabalho duro”. O candidato é identificado como alguém que conhece todo o país e tem propostas para os diferentes Estados, como anéis viários e metrô em grandes cidades. O slogan “sai o Silva e entra o Zé, tá na boca do povo”, que se refere ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi repetido ao menos duas vezes.

Lula foi o convidado especial da propaganda da candidata petista Dilma Rousseff. Um apresentador anuncia as músicas e as entrevistas. A primeira canção reforça a relação da candidata com o presidente: “Lula está com ela, eu também estou”.

Logo a seguir, entra o depoimento de Lula, dizendo que Dilma é capaz, conhece os problemas do Brasil e vai continuar as políticas de melhoria do país.

O apresentador tece elogios para as mulheres e donas de casa do país e, assim como na inserção de Serra, conta a biografia da candidata petista: sua história de militância e os cargos assumidos no governo Lula são destacados. Na continuação, Dilma entra no programa e diz que ainda “há muito para ser feito”. Ela fala sobre suas propostas para redução da miséria, instalação de creches, moradias populares e geração de empregos. Lula é lembrado novamente, na fala da candidata e em outra música, desta vez, com forte tom emotivo.

Marina Silva, candidata do PV, é a que tem menor tempo entre os três principais candidatos no rádio e na TV. Em sua estreia, ela usou o curto espaço – um minuto e 23 segundos – para defender a bandeira verde, o uso de combustíveis fósseis para gerar energia. Também alertou os eleitores para o problema do aquecimento global e para a falta de água que vai afetar 2 bilhões em todo o mundo. Disse ainda que “não estamos plantando nossas árvores” e que o Brasil tem papel fundamental na questão do meio ambiente. Ela terminou com o jingle “Eu sou marineiro”.

No rádio, Serra destaca origem humilde e Lula protagoniza estreia de Dilma

Plínio Arruda Sampaio (PSOL) lembrou sua idade, 80 anos, e sua experiência, que incluiu atuação contra a ditadura militar e exílio. Disse ainda que sempre lutou "pela justiça e pelas minorias". A seguir, Zé Maria (PSTU) disse que a vida no país melhou, mas "para muita gente continua dura". O candidato criticou os governos de Fernando Henrique Cardoso, pelas privatizações, e de Lula, porque não fez tudo o que poderia. O slogan "contra burguês, vote 16" foi lembrado.

José Maria Eymael (PSDC) usou seu jingle “ey, ey, ey, Eymael”, lembrou sua atuação como deputado constituinte, disse que quer fazer muito mais como presidente do Brasil. Em seguida, Levy Fidelix (PRTB) entrou no rádio dizendo que quer ser a voz das empresas que pagam “tantos impostos”, dos que pagam os maiores juros bancários do mundo e dos que precisam de leite para suas crianças: “Quero ser o presidente da Justiça, do progresso e do desenvolvimento”.

Ivan Pinheiro (PCB) e Rui Costa Pimenta (PCO) não usaram os seus poucos 55 segundos no rádio na estreia do programa eleitoral. Ivan, por sua vez, fez uma participação rápida no programa dos deputados do partido pedindo votos.