Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 20 de Junho de 2024

Sidrolandia

Novo livro de Paulo Coelho chega amanhã às livrarias

Nesse famoso trem ele conheceu uma jovem de 21 anos, que o levou a uma volta ao passado e a um encontro consigo mesmo, ou seja, descobre o "aleph"

EFE

23 de Julho de 2010 - 10:18

Santiago de Compostela (Espanha), 23 jul (EFE).- O escritor Paulo Coelho confessa que sua primeira peregrinação, em 1986, a Santiago de Compostela (Espanha), etapa final do Caminho de Santiago, serviu para materializar seu "sonho" de ser escritor enquanto fala sobre seu novo livro, "O Aleph", que chega amanhã às livrarias brasileiras.

Por isso, Coelho, que tem livros traduzidos em mais de 60 línguas, considera que a cidade do Apóstolo, no norte espanhol, "não é o final do Caminho", mas "o princípio".

O escritor disse à Agência Efe que foi ao chegar à capital da região da Galícia que se deu conta que "ou abandona o sonho" de ser escritor ou optava por seguir adiante "a partir daqui".

Nascido no Rio de Janeiro, em 1947, Coelho considera que é uma "obrigação" do literato colocar seus próprios "medos, esperanças, ilusões e momentos de depressão" em seus textos a fim de compartilhar estas experiências, e se mostra convencido de que todos os escritores baseiam suas histórias em suas vidas pessoais de um modo ou de outro.

"Sempre um livro", assim como "um quadro" é um "espelho de você mesmo", assegura o autor de "Diário de um mago".

Precisamente, o escritor materializa este pensamento em sua nova proposta literária, "O Aleph" (Editora Sextante) em que fala da sua viagem pela ferrovia Transiberiana, há cinco anos atrás.

Nesse famoso trem ele conheceu uma jovem de 21 anos, que o levou a uma volta ao passado e a um encontro consigo mesmo, ou seja, descobre o "aleph", um ponto de encontro onde tudo conflui, como explica o escritor.