Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 7 de Maio de 2021

Sidrolandia

ONG É o Bicho não vai renovar convênio e anuncia encerramento das atividades até o dia 31

Nos próximos 15 dias a expectativa é doar todos os 60 gatos e 15 cães que ainda mantém sob sua proteção e cuidados.

Flávio Paes/Região News

14 de Dezembro de 2016 - 07:45

Depois de 9 anos e seis meses de funcionamento, a organização não governamental É o Bicho vai encerrar suas atividades no próximo dia 31. A instituição, que recebia recursos da Prefeitura para recolher e tratar cães e gatos abandonados, a partir de hoje só vai funcionar das 15h30 às 18 horas. Nos próximos 15 dias a expectativa é doar todos os 60 gatos e 15 cães que ainda mantém sob sua proteção e cuidados. O trabalho de recolhimento de novos animais foi suspenso.

Outro desafio da ONG, criada e dirigida por Bárbara Damares, é levantar doações junto à comunidade para quitar dívidas com fornecedores de ração e o acerto do único funcionário remanescente. A Prefeitura fazia um repasse mensal atrasou a liberação de quatro parcelas e confirmou que deixará pendentes os meses de outubro, novembro e dezembro. Este dinheiro mal cobria os gastos com limpeza, alimentação e a remuneração dos funcionários, incluindo uma veterinária.

Neste período de funcionamento, embora prestando um serviço público de saúde na área de zoonose de responsabilidade do município, chegou a ter que dar explicações ao Ministério Público acionado por reclamações de vizinhos. Além de atender os animais trazidos pela Prefeitura, era freqüente cães e gatos serem abandonados em frente da ONG.

Bárbara lembra que teve a ideia de criar o abrigo ao constatar que além de abandonar os animais pelas ruas, muita gente sacrificava até filhotes de gatinhos.

Em postagem na Facebook comunicou o encerramento das atividades do abrigo. “Precisamos muito da ajuda daqueles que amam os animais para adotar os animais que estão lá. Ainda temos muitos gatinhos precisando de um lar. Animais idosos, com probleminha na pele, cego de um olho mais todos eles carinhosos e precisando muito de um lar. Vamos lutar pela lei de responsabilidade com os animais domésticos, por campanha de castração. Mais precisamos muito de um lar para os que estão lá. E ajuda financeira para a limpeza do local para entregarmos e fazer o acerto com os funcionários. Toda ajuda é bem vinda”.