Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 27 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Pantanal terá força-tarefa para proteger moradores de ataques de onça em Corumbá

Diario Online

06 de Abril de 2011 - 13:09

Reunião envolvendo as Polícias Ambiental e Militar, Embrapa e Corpo de Bombeiros, definiu as atividades que serão executadas pelos órgãos para garantir a segurança dos moradores do local, onde onças pardas foram vistas por moradores no bairro Generoso, entre os dias 31 de março e 1º de abril.

"Desde que nos informaram da presença dos animais, estamos nos reunindo e traçando atividades visando a segurança da população local e dos animais. Já prevíamos que esses felinos podiam aparecer na região, devido ao período de cheia dos rios do Pantanal", explicou ao Diário, o comandante do 3º Grupamento de Bombeiros, tenente-coronel Sidnei Ribeiro da Cruz.

O Sistema de Comando de Incidente (SCI) estabelecido no encontro realizado na segunda-feira, 04 de abril, definiu as atribuições de cada órgão no caso. A Polícia Militar ficará responsável pelo isolamento da área. A Polícia Militar Ambiental (PMA) mantém armadilhas e monitoramento do local. A Defesa Civil tem a responsabilidade de remoção dos moradores, principalmente de crianças, da área de risco, proporcionando-lhes alimento e abrigo. A Embrapa ficou responsável pela viabilização de dardos tranquilizantes e de um veterinário para definir a dosagem correta do medicamento utilizado numa eventual ação de captura.

"É de extrema importância frisar que toda a atuação foi definida em termos de Comando de Incidente que é uma tendência adotada em situações de desastres naturais, antropológicos ou como neste caso, da presença da fauna selvagem em área habitada. O SCI foi estabelecido para coordenar todas as operações seguintes, inclusive, visando o aperfeiçoamento do Plano de Contingência existente para as próximas operações", explicou o comandante do 3º Grupamento de Bombeiros.

Caso aconteça a captura dos animais, o Corpo de Bombeiros e a PMA farão a remoção dos felinos. "A primeira proposta é que esses animais, ao serem capturados, sejam removidos para uma área longe da zona urbana. A hipótese de remoção para o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), em Campo Grande, só é cogitada, caso eles tenham algum ferimento ou estejam em más condições de saúde", argumentou o coronel Sidnei.

Família de onças

De acordo com moradores, uma família de onças pardas, dois adultos e um filhote, apareceu no quintal de uma casa no final da rua Marechal Floriano, no bairro Generoso, margem do Canal do Tamengo, em Corumbá. Elas atacaram e mataram, em dois dias, nove cabritos. "A última vez que elas teriam sido vistas foi na madrugada de domingo, quando teriam possivelmente atacado um cachorro. Na madrugada de segunda-feira e de terça-feira, os animais não foram mais vistos. Orientamos aos moradores das redondezas que retirem as crianças da região, pois é perigoso algum animal atacá-las", informou o comandante do Corpo de Bombeiros.

A Defesa Civil de Corumbá colocou à disposição dos moradores um abrigo e garantiu três refeições diárias. "Os moradores do local assumiram o compromisso de levar as crianças para casa de parentes e assim foi feito. Eles entenderam que era necessária essa ação, já que o perigo de exposição aos animais era grande. Caso constatássemos que esse acordo não foi cumprido, seria necessária a intervenção do Ministério Público pedindo a retirada dos menores do local, o que não foi necessário, pois conseguimos estabelecer um acordo", explicou ao Diário o gerente de Defesa Civil, tenente Isaque Nascimento.

Até que os animais sejam capturados a PMA aconselhou que os moradores - que continuam no local - fiquem atentos. Não saiam de casa à noite e se avistarem o animal, soltem fogos e liguem para os órgãos responsáveis que podem ajudar na captura. O Corpo de Bombeiros atende pelo 193 e o telefone da PMA é o 3231-5201.