Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 27 de Fevereiro de 2024

Sidrolandia

Para evitar tumulto em Bonito, candidatos assinam TAC com Justiça

Eles se comprometeram a votar até às 9h e, após esse horário, não poderão chegar a menos de 100 metros de um local de votação

Correio do Estado

02 de Março de 2013 - 19:16

Os candidatos a prefeito de Bonito (MS), Leonel Lemos de Souza, o Leleco (PT do B) e Odilson Soares (PSDB) assinaram um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para evitar problemas amanhã (03), durante a votação.

Eles se comprometeram a votar até às 9h e, após esse horário, não poderão chegar a menos de 100 metros de um local de votação. A medida é válida até ás 17h – horário máximo para votar. Além disso, ficou acordado que os candidatos deverão acompanhar a apuração dos votos em locais separados, para evitar confusão.

A Justiça Eleitoral adotou a medida para evitar transtornos durante a votação. Apesar do clima estar tenso, a polícia não realizou nenhuma prisão. Em média, são feitas quatro denúncias por dia sobre supostas compra de votos, porém, nenhuma se confirmou até agora.

Disputa

A cassação da candidata Luisa Lima (PR) – vice de Leleco (PT do B) - pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e o vazamento de áudio de gravação, feita pelo Gaeco (Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado), mostrando a declaração dela chamando eleitores de um bairro da cidade de bêbados e tranqueiras agitaram a campanha em Bonito.

Para não correr risco de cassação de mandato numa eventual eleição, Leleco trocou a Luisa pelo presidente da Câmara e prefeito interino da cidade, Josmail Rodrigues (PTdoB). Luisa teve seu pedido de candidatura impugnada por não ter pago multa de R$ 5 mil à Justiça Eleitoral devido a infração cometida no pleito do ano passado.