Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 13 de Junho de 2024

Sidrolandia

Para OAB/MS, operadoras devem ser suspensas se não tiverem qualidade

Segundo a Anatel, a venda só será liberada após as operadoras apresentarem um plano de investimentos nacional

Campo Grande News

19 de Julho de 2012 - 15:24

Para o presidente da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso do Sul), Leonardo Duarte, qualquer serviço público, inclusive de telefonia móvel, deve ser suspenso se não atender com qualidade a população.

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) proibiu a partir da próxima segunda-feira (23), a venda de chips da operadora Oi em Mato Grosso do Sul.

"Serviço público tem que ser de qualidade, ou não ser prestado. O serviços oferecidos tem que ser contínuos e de qualidade", afirmou Leonardo.

Em todo o país, a Anatel proibiu a venda de chips de três operadoras. A Tim não pode vender o produto em 19 estados brasileiros, a Oi em cinco e a Claro em três.

Segundo a Anatel, a venda só será liberada após as operadoras apresentarem um plano de investimentos nacional. A proibição foi uma resposta da agência às denúncias de má qualidade no serviço prestado pelas empresas.

Para o presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante a suspensão da venda de chips das operadoras será o verdadeiro marco regulatório da telefonia móvel no Brasil.

Segundo Ophir, a determinação é o reconhecimento da existência de um verdadeiro estelionato na telefonia móvel no Brasil. O presidente da OAB afirmou que já era tempo de a Anatel impor um “freio de arrumação” na telefonia móvel brasileira.