Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 22 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Prefeito de Ponta Porã vai investir R$ 101 milhões em moradias, saúde e asfalto

Conforme o prefeito, o assentamento Itamarati terá a construção de uma unidade mista de saúde, com recursos de R$ 1,2 milhão.

Campo Grande News

17 de Julho de 2013 - 13:42

Comemorando 101 anos amanhã, o município de Ponta Porã vai receber investimentos de R$ 101 milhões em moradia, saúde e asfalto. De acordo com o prefeito Ludimar Novais (PPS), o maior valor vai para a área de habitação. “São R$ 90 milhões para construção de 1.515 casas”, afirma.

Na campanha eleitoral, uma das propostas era reduzir o déficit habitacional de 4 mil moradias à metade. Perto da meta de edificar dois mil imóveis, o prefeito afirma que o contrato para a construção das demais unidades será assinado em breve.

Na área de saúde, o Ministério da Saúde autorizou o repasse de R$ 3,2 milhões para construção de seis unidades básicas. Duas vão abrigar locais que hoje funcionam em imóveis alugados e outras quatro vão reforçar a rede de atendimento. O montante também será utilizado para custear reforma e ampliação.

Conforme o prefeito, o assentamento Itamarati terá a construção de uma unidade mista de saúde, com recursos de R$ 1,2 milhão. O município também vai comprar uma ambulância, com investimento de R$ 160 mil.

O pacote de obras ainda inclui R$ 7,3 milhões para drenagem e pavimentação em sete bairros. “São 82 mil metros quadrados de pavimentação e as obras começam neste semestre”, afirma.

Os presentes para a cidade ainda incluem lançamento de sistema apostilado de ensino para séries iniciais e um projeto de R$ 3 milhões para manejo, cultivo e comercialização da erva-mate. O “ouro verde” está na história econômica da cidade, conhecida como “Princesinha dos Ervais”.

Ludimar Novais, que era vereador e venceu as eleições para prefeito, conta que encontrou a administração municipal com os salários em dia e décimo terceiro pago. São 3.200 servidores municipais em Ponta Porã.

Para o prefeito, os únicos dissabores na transição de poder foram as descobertas de parcelamentos em longo prazo com a Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul) e Previporã, o instituto de previdência municipal. Este último, no valor de R$ 4 milhões.