Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 31 de Outubro de 2020

Sidrolandia

Prefeito define nesta sexta-feira subsídio do transporte de assentados e indígenas

O prefeito vai receber às 8 horas lideranças dos estudantes do campo que se recusam a participar da UES que gerencia o transporte dos acadêmicos da área urbana.

Flávio Paes /Região News

27 de Fevereiro de 2014 - 14:30

O prefeito Ari Basso deve definir nesta sexta-feira o valor do repasse para o pagamento do transporte dos universitários indígenas e assentados que asseguraram  a manutenção da gratuidade. O segmento criou uma entidade paralela à União dos Estudantes de Sidrolândia, a Associação dos Estudantes Campesinos, cadastrou os alunos e fez a cotação de preço para o fretamento de ônibus.

Numa estimativa inicial o transporte deve custar R$ 35 mil por mês, com utilização de três ônibus no trajeto para Campo Grande e um quarto que atenderá quem estuda em Maracaju. Com os R$ 77 mil  reservados para os filiados ao UES, o transporte universitário vai custar aos cofres públicos em média R$ 112 mil por mês, sem computar as despesas do trajeto entre a zona rural e a cidade,  no qual são usados ônibus da frota da Prefeitura do transporte escolar. Mesmo assim, bem menos que os R$ 333 mil gastos por mês no ano passado.

O prefeito vai receber às 8 horas lideranças dos estudantes do campo que se recusam a participar da UES que gerencia o transporte dos acadêmicos da área urbana. Eles se rebelaram contra a União porque não aceitaram pagar R$ 25,00 da taxa de adesão e no último dia 31 de janeiro, invadiram a prefeitura e só concordaram e deixar o Paço Municipal, depois de serem recebidos pelo prefeito.

Na ocasião Ari Basso se comprometeu a garantir o transporte gratuito para os estudantes da zona rural.  Dos assentamentos e aldeias até a cidade, os alunos estão sendo trazidos em ônibus do transporte escolar da frota própria da Prefeitura.