Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 29 de Novembro de 2021

Sidrolandia

Prefeitura firma TAC e Câmara de Dourados, MS, pode ser desocupada

O termo, assinado na terça (13), promete a realização de um estudo técnico para verificar a possibilidade de redução na tarifa do transporte coletivo urbano em Dourados

G1 MS

14 de Agosto de 2013 - 09:39

A assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre prefeitura de Dourados (MS) e Ministério Público Estadual (MPE) pode dar fim, nesta quarta-feira (14), à ocupação do prédio da Câmara de Vereadores da segunda maior cidade do estado. Pelo menos 40 manifestantes acampam na sede do legislativo há 42 dias.

O termo, assinado na terça (13), promete a realização de um estudo técnico para verificar a possibilidade de redução na tarifa do transporte coletivo urbano em Dourados, que é de R$ 2,50, principal reivindicação do movimento.

Wesley Silva, 24 anos, um dos integrantes do protesto, disse que a assinatura do TAC divide a opinião do grupo sobre a possibilidade de desocupação. Segundo ele, os estudantes se reúnem na manhã desta quarta para debater o assunto.

"O TAC é um início de conversa, pois atende em partes [reivindicações], mas também não atende. A prefeitura tem que apresentar uma proposta de redução da tarifa porque se a gente sair e a prefeitura não cumprir, aí dá margem para voltarmos", disse ao G1 o acadêmico de artes cênicas da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), conhecido como “Tatus Park”.

O secretário de Governo do município, José Jorge Filho, acredita que o estudo deve ser concluído em até dez dias, mas não garante que haverá redução da tarifa e que a diminuição depende da avaliação da equipe econômica da prefeitura.

Já o presidente da Câmara Municipal, vereador Idenor Machado (DEM), afirmou que os manifestantes fizeram compromisso, após a assinatura do TAC, em desocupar o prédio até as 12h (de MS). "Espero que seja cumprido", resumiu. O TAC prevê ainda a criação do Conselho Municipal de Transporte Coletivo, outro pedido do grupo, com a inclusão de seis representantes do movimento.