Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Produtos apreendidos viram dinheiro para caridade

Uma outra exposição arrecada fundos para a associação do Combate ao Câncer de Dourados há 15 dias.

Dourados Agora

13 de Janeiro de 2011 - 16:42

Produtos apreendidos pela Receita Federal viram fundos e salvam entidades que vivem de doações em Dourados. Esta semana pelo menos três “feirinhas” promovidas por filantrópicas movimentam Dourados. Oportunidade para quem quer comprar mais barato.

São eletrônicos, brinquedos, roupas, calçados, produtos de beleza e acessórios que estão a disposição da comunidade. Os preços variam de R$ 1 até R$ 200 dependendo do produto. O Douradosagora esteve em duas delas. A primeira, na Casa da Amizade arrecadava fundos para crianças carentes. Uma outra exposição arrecada fundos para a associação do Combate ao Câncer de Dourados há 15 dias.

No calçadão da Rua Dr. Nelson de Araújo, uma terceira “feirinha” socorria o Lar dos Idosos. A exposição, que começou no último dia 10 já estava em fase final. Praticamente todos os produtos haviam sido vendidos. Ontem mesmo a feira foi encerrada.

O diretor presidente da entidade, Edelmar Antônio Manfredini comemomou o resultado. Segundo ele, com o recurso arrecadado, a entidade vai investir na implantação de um poço artesiano, na reforma de quartos e forros, além na instalação de piso anti-derrapante.

A entidade abriga 45 internos, sendo 31 homens e 14 mulheres de idades entre 64 e 98 anos. Por mês, a entidade que vive de doações tem uma despesa de R$ 30 mil. O Lar dos Idosos, que hoje é referência de bom atendimento sobrevive praticamente de doações.

Segundo ele a principal dificuldade é a compra de fraudas geriátricas. São 2 mil por mês. Qualquer ajuda é bem vinda. Doações podem ser feitas através de depósito bancário. A agencia é a 1521-4, conta corrente 7081440-4, Banco Real.

Visitas também ajudam a vencer a carência afetiva. “Eles querem conhecer pessoas diferentes, contar histórias, conversar. Em algumas situações pessoas que frequentam o lar acabam levando alguns internos para passar o aniversário ou dia festivo em casa, ou para fazer um passeio”, conta.