Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 13 de Junho de 2024

Sidrolandia

Professores decidem manter a greve na Universidade de Rondônia

Apenas um professor votou contra a permanência do movimento. Cerca de 640 professores fazem parte da mobilização no estado.

G1

29 de Agosto de 2012 - 15:52

A greve dos professores da Universidade de Rondônia (Unir), que completou três meses no dia 17 de agosto, será mantida. Apesar dos técnicos administrativos concordarem com a proposta do governo federal e voltarem ao trabalho na segunda-feira (27), cerca de 640 professores vão permanecer paralisados. A decisão aconteceu durante assembleia realizada em Porto Velho nesta quarta-feira (29), com apenas um voto a favor pela retomada das aulas.

De acordo com Associação de Docentes da Universidade Federal de Rondônia (Adunir), a decisão pela continuação do movimento acontece porque as reivindicações não foram atendidas pelo governo federal. "Os professores já encaminharam uma nova proposta, com novos valores de reajuste salarial, mas o governo federal ainda não aceitou nossos pedidos", explica Fabrício Moraes, presidente da Adunir.

Novas manifestações
Segundo Moraes, várias mobilizações estão sendo articuladas para reforçar o movimento. Estudantes da Unir e do Instituto Federal de Rondônia (Ifro) vão realizar manifestações contra a situação. Por causa da greve, o calendário do 2º semestre de 2012, as matrículas e o vestibular 2013 estão suspensos.

A greve das federais, que iniciou em 17 de maio, já prejudicou o ano letivo de cerca de 12 mil universitários de todo o estado.

A categoria pede melhores condições de trabalho, plano de carreira e reajuste salarial. Várias assembleias acontecem nos campi do estado.