Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 18 de Junho de 2024

Sidrolandia

Protesto bancário contra abusos do HSBC durou 6 horas em Sidrolândia

O protesto foi pacifico, durou cerca de 6 horas e não comprometeu o atendimento ao público no interior da agência e caixas eletrônicos.

Marcos Tomé/Região News

17 de Julho de 2012 - 15:05

Bancários protestaram com cartazes, faixas e forraram agência do HSBC de Sidrolândia em repúdio a sobre carga no trabalho, má condições de atendimento, demissões imotivadas, cobrança de metas abusivas e “tarifaço” aos clientes. Entre as várias mensagens, havia dizeres do tipo; HSBC não respeite seus clientes; não as metas abusivas e outras.

Em Sidrolândia a manifestação foi promovida pelo SINDICARIO (Sindicato dos Empregados em estabelecimentos Bancários) de Campo Grande e região e vem acontecendo em todo País. O protesto foi pacifico, durou cerca de 6 horas e não comprometeu o atendimento ao público no interior da agência e caixas eletrônicos.

Os manifestantes alegam que o ato é contra a exploração do banco inglês aos seus clientes e funcionários. O banco é um dos que tem maiores tarifas bancárias do mundo, muito acima do que cobra nos países da Europa e Asia, por exemplo. Só no Brasil, o banco tem o seu quarto maior rendimento do mundo.

O HSBC de Sidrolândia tem cerca de 48 anos de atividades financeiras no município se levados em consideração, à época em que a agência pertencia ao banco Financial, depois passou a ser administrada pelo Bamerindus e em maio de 1997, foi comprada pelo Inglês, HSBC. Atualmente os negócios financeiros do HSBC estão presentes em 86 países.

Apesar de possuir em sua carteira de clientes, as contas da prefeitura municipal, o HSBC trabalha em número reduzido de funcionários, dispõe de apenas 8 funcionários para pronto atendimento ao cliente nas mais diversas áreas de atuação do setor financeiro que são oferecidos aos clientes.

Ainda segundo os líderes do Sindicato, os trabalhadores não suportam mais a sobrecarga de trabalho a que estão sendo submetidos. "O número de funcionários é insuficiente para atender de forma organizada e respeitosa aos clientes, que é a peça mais importante para o Banco".