Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 22 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

Safrinha sofre com efeitos da seca prolongada na região da Grande Dourados

Os agricultores e a assistência técnica ainda não confirmam uma quebra no rendimento do grão

Correio do Estado

27 de Maio de 2011 - 15:44

Os produtores de milho da região da Grande Dourados estão em alerta com possibilidade real de perdas do milho safrinha depois de 20 dias de estiagem em praticamente todas as áreas agrícolas. Os agricultores e a assistência técnica ainda não confirmam uma quebra no rendimento do grão, mas a preocupação é grande, senão chover em uma semana.

No vizinho Paraná, com o clima semelhante ao do sul de Mato Grosso do Sul, a seca já vem afetando a cultura e em algumas regiões, como a de Campo Mourão, agricultores calculam uma redução de 20% na produtividade.

Nesta safra, contrariando as previsões, os produtores da Grande Dourados apostaram no milho 2ª safra, estimulados pelos preços, tanto no mercado interno como no externo. E as chuvas de abril contribuíram para que investisse na cultura, a segunda em importância economia no sul do Estado, depois da soja.

Em Dourados, choveu apenas no inicio de maio com índice acumulado bastante baixo: 5,8 milímetros, conforme registro da Embrapa Agropecuário Oeste. Em alguns municípios ocorreram chuvas localizadas recentemente, como em Laguna Carapã, beneficiando o milho.

Segundo o agrônomo Sérgio Luiz Miranda, a estiagem reduz o potencial produtivo do cereal. A baixa umidade do solo pode comprometer a frutificação do milho. Por isso a ocorrência de precipitações é decisiva para o sucesso da colheita, que começa no final de junho e se estende em julho e inicio de agosto, conforme a época do plantio.

Somente no município de Dourados foram plantados 80 mil hectares de milho safrinha, sendo a produtividade media estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 3.600 quilos/ha. Correspondendo a 60 sacas.

Em torno de 50% das lavouras da região estão em fase de formação de grãos quando a água é essencial para a formação da espiga boa comercialmente; as demais áreas estão em floração e em desenvolvimento.

Há indicativos meteorológicos de pancadas fracas somente na próxima semana.