Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 16 de Abril de 2024

Sidrolandia

Secretário vai hoje à Câmara para explicar crise na saúde e antecipação de recesso

Entre janeiro e dezembro deixaram de ser repassados R$ 719.831,91, incluindo R$ 150.856,54, referente à verba de contratualização do Hospital Elmiria Silvério Barbosa.

Flávio Paes - Região News

14 de Novembro de 2017 - 08:31

Convocado a partir de requerimento do vereador Valdecir Carnevalli, o secretário Municipal de Saúde, Nélio Paim, estará nesta terça-feira às 18 horas na Câmara. Ele vai detalhar os atrasos de repasses de recursos estaduais viabilizados por meio de convênios.

Também terá de explicar a antecipação de dezembro para novembro do recesso na atenção básica, que resultou no fechamento dos postos na zona rural, gerando muitas reclamações.

A convocação do secretário foi aprovada na esteira depois que vereadores da base do Governo tentaram atribuir o fechamento dos postos ao atraso nos repasses do Governo, que em 10 meses teria deixado de liberar quase R$ 1 milhão, muito embora este valor, diluindo ao longo do período, corresponde ao custo mensal de duas unidades básicas de saúde.

Entre janeiro e dezembro deixaram de ser repassados R$ 719.831,91, incluindo R$ 150.856,54, referente à verba de contratualização do Hospital Elmiria Silvério Barbosa.

No final do mês passado um grupo de vereadores esteve na Secretaria Estadual de Saúde e ouviu a promessa de que até o dia 10 estaria na conta uma parcela dos atrasados, R$ 652.830,34. Até sexta-feira, conforme o secretário Nélio, deste total, R$ 400 mil tinha sido repassado, sendo R$ 125 mil para o hospital.

Não veio nenhum centavo, por exemplo, do repasse de R$ 3.900,000 (são quase R$ 390 mil atrasados), para ajudar no custeio de pacientes para Campo Grande na vaga zero (que custa R$ 30 mil). Ainda está pendente, o dinheiro do custeio do SAMU (R$ 65.757,00) que está funcionando de forma parcial, com apenas uma viatura, porque a outra está parada na oficina. Os agentes comunitários de endemias não receberam a gratificação.