Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 23 de Junho de 2024

Sidrolandia

Setor espera mais comprometimento dos políticos que defendem o agronegócio

Faltando pouco menos de 45 dias das eleições, candidatos ainda quase não apresentaram propostas consistentes para o setor rural

Eder Joni Hipólito de Campos

24 de Agosto de 2010 - 13:56

Com uma campanha bastante fria, pelo menos quanto às propostas para o agrosetor, praticamente não houve nenhuma manifestação de candidatos a cargos eletivos a favor do setor rural e nem posicionamento das entidades representativas do que esperam dos deputados federais e estaduais para a política setorial nos próximos quatro anos.

Um levantamento feito pela equipe de redação do Jornal Agroin, revela que de modo geral o agronegócio está decepcionado com a atual bancada ruralista. Pecuaristas, agricultores e comerciantes ouvidos disseram que esperavam mais atitude e mais ações dos políticos principalmente na esfera estadual.

Perguntados se poderiam apontar algum projeto de lei que tivesse beneficiado os produtores na atual gestão, a maioria disse não se lembrar de qualquer proposta resultante ou não tinham conhecimento.

Alguns fatos de relevância ocorridos nos últimos anos, e que abalaram a classe, foram lembrados pelos produtores que continuam aguardando posicionamento do poder público a favor do setor produtivo.

É o caso das demarcações e invasões de terras em todo o Estado.  Não houve evolução na questão, à época muito foi falado e nada de concreto foi resolvido. O problema ainda persiste, o fato é que ninguém mais dá atenção para a situação, o que os deixa inseguros de acordo com os depoimentos colhidos.

A abordagem questionou ainda as eleições deste ano, sobre o que esperam da futura bancada ruralista que deve ser criada ano que vem. As palavras comumente usadas para tentar definir a expectativa foram: compromisso e comprometimento.

Para o pecuarista e médico veterinário Lineu Pereira de Oliveira, o setor rural não tem representantes que correspondam aos anseios do segmento. “Com raríssimas exceções poucos defendem os interesses reais da classe. O setor rural é o responsável pelo desenvolvimento do estado, precisamos de representantes legítimos e comprometidos”, afirma.

Comerciantes também foram ouvidos e disseram concordar com as afirmações dos produtores. Recordaram que as crises enfrentadas no campo refletem diretamente na venda de produtos e serviços agropecuários.