Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 22 de Maio de 2024

Sidrolandia

Sorvete, garapa e tereré espantam clima seco

Mesmo com o clima seco e os riscos, muitos aproveitam o dia. Idosos colocam conversa em dia com garrafinhas de água repousando ao lado

Campo Grande News

13 de Agosto de 2010 - 10:00

O sol forte se escondeu nesta sexta-feira, mas continua o alerta para umidade relativa do ar abaixo dos 20% em Campo Grande. Segundo o Inmet, amanhã o índice deve atingir 18%.

Mesmo assim 30 garotos entre 13 e 15 anos que treinam todas as semanas no Aero Rancho Futebol Clube correm como se nada os abalasse. Clima seco, para eles, combina com água gelada a cada apito de descanso ou pretexto para sorvete de cinqüenta centavos.

Mesmo com o clima seco e os riscos, muitos aproveitam o dia. Idosos colocam conversa em dia com garrafinhas de água repousando ao lado. Mães e filhos se refrescam do calor com um sorvete em família. E a molecada esquece a bola e corre para o picolé.

Ao fundo do campo de futebol do Aero Rancho, um carrinho buzina. A molecada junta os trocadinhos e corre para alegria geral. Deles e do vendedor.

Umidade do ar entre 20% e 30% significa estado de atenção para atividades ao ar livre. Pode ocasionar complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas, sangramento pelo nariz, ressecamento da pele e irritação nos olhos. Exercícios físicos devem ser monitorados e o consumo de água constante.

Nada que sorvete, água a cada dez minutos e um pouco de sombra não resolvam. “Não tem problema não. A gente toma muita água. O ruim é esse ventão que levanta a poeira”, explica Vinícius, de 15 anos, que explica sua rotina enquanto chuta ao gol do goleiro Gustavo.

Um galão de 100 litros de água espera a molecada a cada intervalo. “Eles correm mesmo. É da idade. Pode estar um deserto ou nevando, eles estão aqui batendo bola à vontade”, diz sem se espantar o técnico Paulo Godoy, o Paulinho, que há 11 anos vê os meninos voando pelo campo do bairro.

Dia tranquilo - Apesar do clima seco, na Unidade Básica de Saúde do Aero Rancho o movimento é tranquilo. Na quarta, foi bem mais movimentado. "Atendemos mais as crianças menores, mas está bem sossegado aqui hoje”, explica a técnica de enfermagem Denise Pereira, enquanto a sala de inalação permanece vazia.

A mesma rotina tranqüila viveu a sala de inalação do Posto de Saúde do Bairro Guanandi. Nem crianças, nem idosos durante boa parte da tarde de quinta-feira.

Sorvete, tereré e garapa - Sol e umidade baixa são ótimos pretextos para aproveitar a tarde azul de Campo Grande. Quem agradece são os vendedores. Solange Martins possui um trailer de caldo de cana na Rua Maracaju e já sabe o trabalhão que a espera.

“Acho que hoje será como ontem. Só volto para a casa depois das 19 horas. Não para o trabalho aqui nesses dias quentes e secos. Bom né?”, comenta enquanto faz garapa com limão para seis clientes.

Valdenir Ramão vende picolés na Praça Ary Coelho e comemora as vendas. “Nesse tempo o sorvete no carrinho acaba rápido”, explica. Para ele, o lucro se mantém como em dias normais, mas a volta para a casa acontece mais cedo.

O tempo para o tereré com os amigos também aumenta. “Está bem seco o dia mesmo. Parece que convida a gente para tomar e bater papo. É bom que hidrata”, justifica rindo Ronaldo Martins entre goles na Praça.

Galeria de Imagens

Sorvete, garapa e tereré espantam clima seco

Sorvete, garapa e tereré espantam clima seco

Sorvete, garapa e tereré espantam clima seco

Sorvete, garapa e tereré espantam clima seco

Sorvete, garapa e tereré espantam clima seco

Sorvete, garapa e tereré espantam clima seco