Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 27 de Janeiro de 2022

Sidrolandia

União só libera 17,2% do dinheiro necessário para recuperar estragos

Ou seja, dos R$ 202 milhões pedidos, há perspectiva de garantir 22%, os R$ 45 milhões mencionados.

Flávio Paes/ Região News

30 de Abril de 2011 - 09:09

União só libera  17,2% do dinheiro  necessário para recuperar estragos
Uni - Foto: Franciane Trindade/Regi

A prefeitura de Sidrolândia não terá socorro financeiro federal necessário para recuperar os estragos provocados na malha viária rural pelos mais de 400 milímetros de  chuva que caíram entre o final de fevereiro e os primeiros 10 dias de março. 

Ao invés dos R$ 1,1 milhão necessários para recuperar 64 quilômetros  de estradas vicinais, reconstruir duas pontes na região do Quebra-Coco, outras duas na região do Piqui, além de dois bueiros no Piqui, o Ministério da  Integração Nacional anunciou nesta sexta-feira R$  190 mil, 17,2% do valor pleiteado, dinheiro para compra de 70 mil litros de óleo diesel.

Esta foi a parcela que coube a Sidrolândia dos R$ 5 milhões  rateado entre 22 municípios que tiveram a situação de emergência reconhecida pela Secretaria Nacional de Defesa  Civil. Pelo visto  a vinda do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, que esteve no Estado vendo de perto os estragos, além da ida de uma comitiva  de prefeitos a Brasília, acompanhada de deputados federais, trouxeram resultados pífios em termos de liberação de recursos.

Embora Sidrolândia tenha registrado o maior prejuízo econômico com as chuvas – queda de 43% na produção de soja, carro-chefe  da economia do município – sua parcela de recursos (R$ 190 mil),  foi igual de Maracaju, onde a safra teve quebra inferior a 2%, onde o comprometimento das estradas vicinais foi bem menor que a verificado aqui.

No geral, computando os R$ 105 milhões solicitados pelo Governo e mais R$ 97 milhões reivindicados pelas prefeituras (R$ 35 milhões só para Capital), até agora só foram assegurados  R$ 45 milhões, sendo R$ 35 milhões para construção de 35 pontes e R$ 5 milhões liberados para atender as famílias desabrigados.  Em concreto armado que substituirão pontes de madeira destruídas pela correnteza. 

Ou seja, dos R$ 202 milhões  pedidos, há perspectiva de garantir 22%,  os R$ 45 milhões mencionados.