Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 20 de Julho de 2024

Sidrolandia

"Vamos continuar a reforma agrária", diz Dilma

Candidata petista criticou proposta de José Serra (PSDB) para o campo. Ela recebeu da Contag sugestões para seu programa de governo.

G1

13 de Julho de 2010 - 14:40

A candidata à Presidência da República pelo PT, Dilma Rousseff, disse nesta terça-feira (13), durante evento na Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), em Brasília, que caso seja eleita, continuará com a reforma agrária. "Vamos continuar a reforma agrária. Não porque o MST ou qualquer outro movimento queira, mas porque é bom para o Brasil."

Dilma recebeu da Contag uma série de sugestões para seu programa de governo, entre elas intensificar e aprimorar a realização de reforma agrária, atualizar os índices de produtividade, limitar o acesso à terra a pessoas físicas e jurídicas brasileiras e estrangeiras, e democratizar o acesso à terra mediante desapropriação por interesse social.

Em discurso, Dilma criticou o candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra. "Meu adversário propôs acabar com o Ministério do Desenvolvimento Agrário. É um absurdo. O MDA faz com que a agricultura familiar se desenvolva. Queremos um Brasil com gente e não uma devastação total. Se não tiver vida com qualidade no campo, nossas cidades vão explodir."

Aplaudida várias vezes pela plateia e saudada aos gritos, a candidata assumiu o compromisso de incorporar mais dois milhões de agricultores ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Ela prometeu ainda ampliar o programa de compra de alimentos de pequenos agricultores para a merenda escolar.

"Agricultura familiar, reforma agrária e desenvolvimento social e econômico no campo vão ser prioridades", disse Dilma.

O ministro do Desenvolvimento Agrário Guilherme Cassel, presente ao evento, disse que estava utilizando seu horário de almoço para participar da campanha e não infringir a lei eleitoral.