Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 21 de Abril de 2024

Sidrolandia

Vereadora quer que proteção à criança e adolescente seja mais divulgado

Para a vereadora toda precaução que se toma em relação a segurança da criança é muito importante

Jaime Mel

11 de Julho de 2011 - 16:21

Vereadora quer que proteção à criança e adolescente seja mais divulgado
Vereadora quer que prote - Foto: Jaime Mel

Preocupada com as crianças e adolescência por estas, naturalmente estarem mais passivas de serem vítimas de diversos crimes, a vereadora Professora Wanderléa deu entrada na Câmara Municipal de Paranhos em um projeto que dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais, hotéis, motéis, casas noturnas e similares a anexar aviso: “SUBMETER CRIANÇA E ADOLESCENTE AO ABUSO OU À EXPLORAÇÃO SEXUAL É CRIME E DÁ CADEIA DE ATÉ 10 ANOS”.

Para a vereadora toda precaução que se toma em relação a segurança da criança é muito importante:

“As situações de violência sexual representam atualmente uma parcela significativa das notificações de violência cometidas contra crianças e adolescentes. Os dados indicam que as crianças e adolescentes atingidos são, na maioria das vezes, vítimas de pessoas conhecidas e, não raro, o abuso ocorre durante um longo período de tempo. A sua ocorrência evidencia um crime e as providências legais daí decorrentes nem sempre favorecem questões psicológicas, sociais e de proteção da criança e de sua família. Desta forma, trabalhar com a violência sexual demanda que os profissionais e instituições criem uma rede de atendimento que considere todos os aspectos implicados nesta problemática. A divulgação de leis e avisos sobre a segurança às nossas crianças não deixa de ser uma forma de corroborar com essa causa.” Disse a vereadora que destacou ainda sobres os últimos dados do conselho tutelar do município:

Ano 2009:  (   90  )     NOTIFICAÇÕES

Ano 2010:  (   80   )    NOTIFICAÇÕES

Ano 2011:  (   35  )     NOTIFICAÇÕES ( JANEIRO / ABRIL)

“Diante desta demanda, é que propomos este projeto de lei, pois, nossa responsabilidade é desenvolver cada vez mais, melhores formas de intervir frente a este fenômeno, com a expectativa de amenizar as sérias consequências que ele provoca no grupo familiar e nas crianças e adolescentes vítimas desta forma de violência, bem como prevenir a ocorrência de novas situações”. Destacou a Vereadora.

As crianças e adolescentes, ou seja, pessoas estruturalmente dependentes dos adultos, a responsabilidade é ainda maior. Uma criança que sofre abuso sexual na família pode demorar longos anos para poder revelar que está sendo abusada por alguém de sua confiança.

Quando ela finalmente revela, é necessário atendê-la e isto exige procedimentos que esclareçam a situação abusiva para que esta última possa ser, de fato, interrompida e adequadamente tratada.

Em nosso município, a atuação frente à violência sexual contra crianças e adolescentes são assistidas pelo conselho Tutelar e o CREAS (Centro de Referência Especializada da Assistência Social), por profissionais como: Assistente Social, Advogado, Professores, Comissão Municipais e psicólogos, que direta ou indiretamente se envolvem com esta demanda.