Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 18 de Julho de 2024

Sidrolandia

Voto para governador em MS é o 9º mais caro

A tabela foi feita com base nos gastos declarados pelos candidatos e o tamanho do eleitorado de cada estado brasileiro.

G1

21 de Julho de 2010 - 15:33

Mato Grosso do Sul terá o 9º voto mais caro do País nas eleições deste ano para o cargo de governador, segundo levantamento nacional divulgado nesta manhã pelo Portal G1. A tabela foi feita com base nos gastos declarados pelos candidatos e o tamanho do eleitorado de cada estado brasileiro.

Em MS, os três candidatos a governador declararam previsão de gastos no valor de R$ 36,2 milhões nesta campanha, valor que dividido pelo número de eleitores, 1.702.511, segundo o TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral), chega-se ao custo por voto de R$ 21,26, o 9º mais caro do País, segundo a planilha do G1. />

O governador André Puccinelli (PMDB) declarou ao TRE-MS teto de gastos no valor de R$ 20 milhões. O ex-governador Zeca do PT aparece em seguida com teto de R$ 16 milhões. E, por fim, o comerciante Nei Braga, do PSol, pretende gastar até R$ 250 mil.

Deputado estadual

Não só para o cargo de governador que o custo do voto em Mato Grosso do Sul se destaca nos rankings nacionais pela “carestia”. Ontem, outro levantamento divulgado pela coluna da jornalista Mônica Bergamo da Folha de São Paulo, apontou que MS terá o 3º voto mais caro do País para deputado estadual, saindo por R$ 13,8 por eleitor. />

Os valores, conforme a colunista, constam de tabela feita a partir de dados oficiais do TSE. A planilha circula entre alguns dos maiores grupos empresariais do Brasil, com sede em SP, para ajudá-los a dar dinheiro para candidatos nas eleições, informa a coluna. />

A tabela teria sido elaborada tendo como base o custo médio das campanhas de 2006, recalculado para valores de 2010 e dividido pelo número de eleitores. Na liderança figura o estado de Roraima onde o custo é de R$ 28 por eleitor, em seguida vêm Distrito Federal com R$ 14. Em São Paulo e no Rio, o voto para deputado estadual "custa" cerca de R$ 4. />Saiba mais detalhes lendo a notícia relacionada abaixo.

Ranking Nacional

No topo de lista de votos caros para o cargo de governador estão Roraima, Tocantins e Rondônia. O custo da campanha para convencer um eleitor em Roraima seria suficiente para tentar conquistar 28 votos no Rio de Janeiro.

Em Roraima, os cinco candidatos ao governo do estado estimam gastar R$ 30,5 milhões na tentativa de convencer os 271,8 mil eleitores aptos para votar no Estado. Com isso, o “custo” de cada voto é de R$ 112,10.

O valor é mais que o dobro do segundo colocado na lista – Tocantins. No estado, o voto individual custará R$ 53,63 aos dois candidatos que disputam o cargo de governador. O estado tem 948,9 mil eleitores e o custo previsto das duas campanhas é de R$ 50,9 milhões.

Na divisão entre gastos de campanha e eleitorado, Rondônia tem o voto um pouco mais “barato” do que Tocantins –R$ 40,85. O estado amazônico tem cerca de um milhão de eleitores e os cinco candidatos que disputam o governo estimam gastar até R$ 44,1 milhões.

Na outra ponta, três estados do Sudeste aparecem como os que terão o voto “mais barato”. No Rio de Janeiro, a relação gastos de campanha/eleitorado faz com que o custo estimado de um voto fique em R$ 3,96. O eleitorado fluminense soma 11,5 milhões – o terceiro maior do país. Juntos, os seis candidatos ao governo local declararam um gasto de campanha de R$ 45,9 milhões.

Em Minas Gerais, cada voto vai “custar” R$ 6,30 se for dividido o gasto total de campanha dos candidatos pelo número de eleitores. Os oito candidatos informaram ao Tribunal Regional Eleitoral do estado que pretendem gastar até R$ 91,6 milhões.

São Paulo, o maior colégio eleitoral do país (30,3 milhões) e a campanha mais cara neste ano, terá um custo por voto de R$ 6,45. Nove candidatos disputam o governo estadual. Juntos, devem gastar R$ 195,6 milhões.

Presidenciáveis

Se considerados os três principais concorrentes ao cargo de presidente da República – Dilma Rousseff (PT), Marina Silva (PV) e José Serra (PSDB) – o custo para buscar o voto de um dos 135,8 milhões de eleitores brasileiros seria de pouco mais de R$ 3.

Somados, os valores de gastos de campanha informados pelos candidatos mais bem colocados nas pesquisas chegam a R$ 427 milhões. Dos três, Serra é o candidato com a campanha mais cara: R$ 180 milhões, seguido de Dilma Rousseff, com R$ 157 milhões, e Marina Silva, com R$ 90 milhões.

Por essa proporção, o candidato tucano teria um custo de R$ 1,32 por voto. Para Dilma, esse custo é de R$ 1,15. Marina gastaria menos: (R$ 0,66). 

Voto para governador em MS é o 9º mais caro