Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 19 de Outubro de 2021

Sidrolandia

Zona de Alta Vigilância de MS é reconhecida área livre de aftosa

O controle sanitário na região passou a vigorar em janeiro de 2008. Há estimativa de que no local existam seis mil propriedades e um rebanho com 700 mil animais.

Correio do Estado

22 de Março de 2011 - 13:44

Publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União a Instrução normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que reconhece a Zona de Alta Vigilância (ZAV) em Mato Grosso do Sul como livre da Febre Aftosa sem vacinação e livre para exportação da carne bovina.

A medida vai beneficiar aproximadamente 15 quilômetros de largura a partir da fronteira internacional que se estende por Porto Murtinho, Caracol, Bela Vista, Antônio João, Ponta Porã, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Paranhos, Sete Quedas, Japorã, Mundo Novo, Corumbá e Ladário, todos no Estado do Mato Grosso do Sul.

A normativa prevê ainda que sejam redefinidas as Diretrizes para Exportação do Sistema de Vigilância Veterinária na ZAV sob os termos da "Solicitação de Restituição do Reconhecimento da Condição Sanitária de Zona Livre de Febre Aftosa com Vacinação", depositada perante a OIE (Organização Mundial de Saúde Animal).

O controle sanitário na região passou a vigorar em janeiro de 2008. Há estimativa de que no local existam seis mil propriedades e um rebanho com 700 mil animais.

Pontos fixos de fiscalização deverão ser mantidos na rodovia MS-289, em Amambai; rodovia MS-384, em Antônio João; BR-060, em Bela Vista; MS-382 em Bonito; BR-384, em Caracol; MS-386, em Japorã; BR-163, em Mundo Novo; BR-163, em Eldorado; MS-295, em Paranhos; MS-164, em Ponta Porã; BR-267, em Porto Murtinho; MS-160, em Sete Quedas e Município de Corumbá, incluindo Forte Coimbra.