Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 26 de Maio de 2022

Economia

Alta do dólar aumenta custos de produção do agronegócio

A valorização do dólar cedeu um pouco, porém, neste mês, para alívio de quem prepara as terras para plantio e precisa comprar insumos e fertilizantes.

Agência Brasil

13 de Outubro de 2015 - 15:53

A Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul) divulgou hoje (13) que a valorização do dólar norte-americano determinou reajustes crescentes nos custos de produção do agronegócio, no mês de setembro. O impacto cambial, com o dólar acima de R$ 4, gerou aumento de 3,69%, de acordo com o Índice de Inflação dos Custos de Produção (IICP), medido pela federação gaúcha.

No acumulado do ano, o reajuste do IICP chega a 11,04%, enquanto o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 7,64%. Nos últimos 12 meses, o IICP acumula 15,70%, ante 9,49% do IPCA. O cenário preocupa a produção rural, porque tradicionalmente os preços costumam ser corrigidos no segundo semestre devido à sazonalidade dos custos. A valorização do dólar cedeu um pouco, porém, neste mês, para alívio de quem prepara as terras para plantio e precisa comprar insumos e fertilizantes.

De acordo com a Farsul, o Índice de Inflação de Preços Recebidos (IIPR) também registrou alta de 4,96% em setembro, comparado ao mês anterior, por causa da influência cambial. Foi o terceiro mês consecutivo de altas expressivas. Com esse saldo, o acumulado do IIPR no ano chega a 12,77%, enquanto o IPCA Alimentos foi 7,56%, o que não ocorria desde dezembro de 2012. O principal responsável pelo aumento foi a carne suína, com alta de 21%, pois os grãos tiveram aumento médio de apenas 5%.