Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 10 de Agosto de 2022

Economia

Bovespa fecha em queda e termina o mês no vermelho

Perto do final do pregão, a Petrobras tinha alta de mais de 1% nas preferenciais e de quase 4% nas ordinárias

G1

31 de Agosto de 2015 - 16:37

O principal índice da Bovespa fechou em queda nesta segunda-feira (31), com o mercado repercutindo a divulgação da proposta de Orçamento do governo brasileiro para 2016 prevendo déficit primário.

O Ibovespa, principal indicador da bolsa paulista, caiu 1,12%, a 46.625 pontos. Veja a cotação. Na mínima do dia, o índice chegou a cair mais de 3%.

Em agosto, a bolsa caiu 8,33%. No ano, há baixa acumulada de 6,76%. O mercado reagiu a novos sinais de dificuldade do governo federal em promover o ajuste das contas públicas, com o envio da proposta orçamentária para 2016 prevendo déficit primário. As perdas, contudo, foram contidas pelo avanço de Petrobras, na esteira da disparada dos preços do petróleo.

Perto do final do pregão, a Petrobras tinha alta de mais de 1% nas preferenciais e de quase 4% nas ordinárias. Itaú Unibanco e Bradesco caíam entre 3% e 4% respondendo pelas maiores pressões negativas do Ibovespa, uma vez que o cenário de déficit fiscal corrobora apostas de agentes financeiros em rebaixamento do rating brasileiro e papéis de bancos estão entre os mais sensíveis a um eventual corte da nota de crédito brasileira.

O viés foi negativo em praças acionárias externas, reforçando o tom negativo na Bovespa, conforme seguem preocupações com as bolsas e a economia chinesas e incertezas sobre o primeiro aumento dos juros norte-americanos em quase uma década.

"Com um cenário externo ainda turbulento, mais uma potencial revisão nas metas fiscais traz um profundo desânimo com os ativos brasileiros", disse à Reuters o gestor Joaquim Kokudai, sócio na JPP Capital.

Na China, continuou a apreensão sobre a capacidade do governo chinês de lidar com o mercado em seu país, bem como a sua economia.