Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 4 de Agosto de 2021

Economia

Chuva dá trégua e colheita da soja avança na região

Diario MS

10 de Março de 2011 - 09:53

Chuva dá trégua e colheita da soja avança na região
Chuva d - Divulga

As chuvas, que até a semana passada trouxe preocupação para os produtores da região da Grande Dourados, atrapalhou o início da colheita, mas não deve causar tantos prejuízos. Mesmo com algumas perdas, os danos são pouco significativos perto da produtividade esperada.

“Já tivemos alguns prejuízos, mas a expectativa ainda é de uma safra muito boa. O momento é só de preocupação, mas não tivemos perdas significativas em comparação com a alta produtividade prevista”, disse o presidente da Aeagran (Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Dourados), Bruno Andrade Tomasini.

Com a estiagem dos últimos três dias, a colheita foi acelerada, diminuindo os prejuízos dos produtores. “Por outro lado, se a chuva continuar podemos ter soja apodrecendo nas lavouras”, ressaltou Tomasini.

Segundo estimativas de especialistas da região, a Grande Dourados não deve ter rendimento médio abaixo de 3.180 kg/ha, número superior do apresentado na estimativa do IBGE (2.900 kg/ha) e da Conab (3.050 kg/ha) para o Estado.

Mesmo com as possíveis perdas, o agricultor deve manter o lucro nesta safra, devido aos valores elevados pagos pela saca de soja. “O preço está bom e a produtividade deve ser alta, com isso o produtor terá lucro garantido”, afirma o presidente da Aeagran.

MILHO SAFRINHA

Outra preocupação entre os produtores está no plantio do milho safrinha. Por conta do grande volume de chuva na região, a colheita de soja foi adiada e, consequentemente, o plantio do milho também ficou atrasado.

Na semana passada, o Mapa (Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento) ampliou o prazo para o plantio de milho 2ª safra, que inicialmente estava previsto para 28 de fevereiro, para o próximo dia 20.

Foram alterados os períodos de plantio do grupo I, com solos tipos 2 e 3. Para o solo tipo 2 estão aptos os municípios de Eldorado, Iguatemi, Itaquiraí, Japorã, Jateí, Juti, Mundo Novo, Naviraí, Paranhos, Sete Quedas e Tacuru.

Já para o solo do tipo 3 estão aptos os municípios Amambai, Antônio João, Aral Moreira, Caarapó, Coronel Sapucaia, Douradina, Dourados, Eldorado, Fátima do Sul, Iguatemi, Itaporã, Itaquiraí, Japorã, Jateí, Juti, Laguna Carapã, Maracaju, Mundo Novo, Naviraí, Nova Alvorada do Sul, Paranhos, Ponta Porã, Rio Brilhante, Sete Quedas, Sidrolândia, Tacuru e Vicentina.

A estimativa da produção do milho safrinha em Mato Grosso do Sul é de 3,5 milhões de toneladas, o que representa 16% da produção nacional. O Estado deve plantar mais de 900 mil hectares desta cultura em tempo definido dentro das normas do zoneamento da agricultura. O milho da 2ª safra representa 46% do consumo nacional.

”Esta medida do Mapa deverá possibilitar que a maior parte dos produtores consiga plantar um milho 2ª safra dentro dos novos prazos fixados, podendo, assim, ter acesso ao crédito rural, ao Proagro e ao seguro agrícola”, disse o superintendente de Agricultura e Pecuária da Seprotur (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo), Jerônimo Alves Chaves.