Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 6 de Dezembro de 2021

Economia

Feriado de Carnaval aquece economia em todos os setores

Gazeta News

11 de Março de 2011 - 16:52

O Carnaval no Brasil, hoje, se tornou uma tradição, sendo que esta época atrai mais turistas do que nas festas de fim de ano. Muitos dizem que o País só começa a funcionar, economicamente, após os festejos de Carnaval, mas será que isso realmente acontece? Segundo o professor de Administração,Williams Fernandes, depende do ponto de vista pelo qual é analisada a questão da festa. “Se analisarmos pelo prisma só da festa, logo vêm as nossas mentes festas e mais festas - folia.

Se olharmos pelo econômico, naturalmente percebemos uma real e efetiva economia funcionando. Pense comigo: Hotéis, restaurantes, viagens aéreas, roupas, calçados, etc. O povo brasileiro tende a confundir “um pouco” com feriados de Órgãos Públicos, logo, dá-se a impressão de que tudo parou. E não é bem assim”, explica o professor.

De acordo com Fernandes, o feriado de Carnaval no Brasil faz um giro na economia em todos os setores, mas a concentração em locais onde acontecem os festejos é maior. “Já imaginou lá na Bahia, quantos dias de folia? Quantos setores da economia estão envolvidos? Mas, este ano, percebeu-se através da dos meios de comunicação e amigos próximos, que muitas pessoas preferiram viajar, tirar umas férias prolongadas.

Naturalmente isto envolve a economia de todo o País. Talvez pelo momento econômico em que o Brasil se encontra atualmente. Muita gente aproveitou este período para fazer aquele “churrasco”, festa em família. As coisas estão mudando”, comenta Williams.

O jargão usado por muitos de que o País só funciona após o Carnaval, que os brasileiros só pensam em festa e comemorações, já está ficando para trás. Para o professor, o País mudou e a economia está crescendo. “As pessoas naturalmente tendem a trabalhar mais, buscar mais qualidade de vida. Isto envolve comprometimento, trabalho, muito trabalho. Esta cultura não vai mais existir no futuro.

As empresas e pessoas que não se adaptarem vão “falecer”. Isto envolve todas as empresas e organizações, sendo a construção civil, a indústria, entretenimento, turismo, setor automobilístico, etc. Aliás, as vendas de automóveis superam o período anterior em relação a 2010. Aqui em Amambai, conversando com um empresário, ele me disse que este período nunca foi tão bom quanto agora”, fala Fernandes.

Uma dúvida ainda vigente é se o ferido de Carnaval pode ser considerado promissor para a economia, ou um período em que os brasileiros têm para descansar. Com dados divulgados pela revista Época, Fernandes explica matematicamente que as empresas precisam se adequar ao crescimento econômico. “Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) aumentaram a projeção para o crescimento da economia neste ano, de 4,5% para 4,6%.

A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no País, em 2012, foi mantida em 4,5%, mas a estimativa de crescimento da economia em 2011 sobe para 4,6%. As empresas precisam se adequar urgentemente. Isto envolve planejamento. Quando se fala em planejamento, fala-se em estratégias e nichos de mercado”, finaliza o professor.

Com isso, podemos perceber que no momento a economia do País está aquecida, sendo ela voltada a datas comemorativas ou com eventos que são realizados no Brasil, como a próxima Copa.