Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Junho de 2024

Economia

Maio registra abertura de 139.679 empregos com registro em carteira

Dourados Agora

28 de Junho de 2012 - 16:43

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) mostram que no mês de maio foram gerados 139.679 empregos formais, correspondendo ao crescimento de 0,36% em relação ao estoque do mês anterior.

Entre os meses de janeiro a maio, houve expansão de 2,32% no nível de emprego, equivalente ao acréscimo de 877.909 postos de trabalho.

Nos últimos 12 meses, o aumento foi de 1.607.209 postos de trabalho, correspondendo à elevação de 4,32%. O resultado geral está disponível aqui. Também estão disponíveis saldos por municípios e estaduais.

No acumulado do ano, as contratações apresentaram alta de 2,32%, com o acréscimo de 877.909 postos de trabalho, sendo que, em 12 meses, o aumento foi de 1.607.209 vagas, correspondendo à elevação de 4,32%.

No período de janeiro de 2011 a maio de 2012, o crescimento foi de 8,05%, com o aumento de 2.888.749 postos de trabalho.

Em maio , foram declaradas 1.785.075 admissões e 1.645.396 desligamentos correspondendo, nos dois casos, ao segundo maior número para o período.

Setores

Em maio, sete dos oito setores de atividade econômica registraram alta no nível de emprego, e um deles registrou relativa estabilidade.

Os setores que mais contribuíram para o comportamento positivo no mês foram: Agricultura (+46.261 postos ou +2,94%, a maior taxa de crescimento entre todos os setores e subsetores); Serviços (+44.587 postos ou +0,28%); Indústria de Transformação (+20.299 postos ou +0,25%); Construção Civil (+14.886 postos ou +0,49%) e Comércio (+9.749 postos ou +0,11%).

A Administração Pública também se destacou, ao apresentar um aumento de 2.660 postos ou +0,32%, o terceiro melhor desempenho para o mês; Extrativa Mineral contabilizou (1.251 vagas).

O setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP) foi o que registrou relativa estabilidade no mês (-14 postos ou 0,00%).

A Agricultura, além de liderar a geração de empregos em maio, apresentou o seu melhor desempenho no; o bom dinamismo do setor foi associado às atividades vinculadas à presença de fatores sazonais na região Sudeste, como o cultivo de café (+25.995 postos) e de cana-de-açúcar (+12.250 postos).

No setor de Serviços, houve crescimento do emprego em todos os segmentos que o integram: Serviços de Alojamento e Alimentação (+10.212 postos ou +0,19%); Serviços Médicos e Odontológicos (+9.024 postos ou +0,56%, o segundo maior saldo para o período); Serviços de Comércio e Administração de Imóveis (+8.968 postos ou +0,20%); Serviços de Transportes e Comunicações (+8.539 postos ou +0,41%); Ensino (+7.107 postos ou +0,49%) e Instituições Financeiras (+737 postos ou +0,11%).

Na Indústria de Transformação (+20.299 postos ou +0,25%), os desempenhos positivos foram registrados na Indústria de Produtos Alimentícios (+17.856 postos ou +0,96%); Indústria Química (+6.781 postos ou +0,72%); Indústria da Borracha, Fumo e Couros (+1.975 postos ou +0,55%); Indústria Têxtil (+840 postos ou +0,08%) e na Indústria de Produtos Minerais Não Metálicos (+669 postos ou +0,14%).

Regiões

Todas as cinco regiões registraram expansão do emprego: Sudeste (+101.876 postos ou 0,49%); Centro-Oeste (+13.473 postos ou +0,46%), Sul (+9.913 postos ou 0,14%); Nordeste (+9.060 postos ou +0,15%) e Norte (+5.357 postos ou +0,31%).

Por Unidades da Federação (UF), vinte elevaram o emprego; seis registraram declínio e uma apresentou relativa estabilidade (Piauí: -1 posto ou 0,00%).

Os destaques positivos foram: São Paulo (+52.624 postos ou +0,43%); Minas Gerais (+32.684 postos ou +0,79%); Rio de Janeiro (+12.030 postos ou +0,33%); Paraná (+11.738 postos ou +0,46%) e Goiás (+8.013 postos ou +0,71%).

Merecem destaque também, os estados de Rondônia (+2.478 postos ou 1,02%), Paraíba (+2.224 postos ou +0,64%) e Maranhão (+1.730 postos ou +0,40%), que obtiveram o terceiro melhor desempenho para o mês e evidenciaram uma reação em relação aos resultados obtidos em maio de 2011.

No conjunto das nove Áreas Metropolitanas, houve crescimento de 0,14%, equivalente ao aumento de 23.049 postos de trabalho.

As Áreas Metropolitanas que mais se destacaram foram: Rio de Janeiro (+7.463 postos ou +0,27%); São Paulo (+7.312 postos ou +0,11%); Belo Horizonte (+4.477 postos ou +0,28%); Recife (+3.196 postos ou +0,37%) e Curitiba (+2.176 postos ou +0,21%).

No Interior desses aglomerados urbanos, o emprego cresceu 0,67% (+93.453 postos de trabalho).

Os Interiores dos estados dos aglomerados urbanos que mais geraram emprego foram: São Paulo (+45.312 postos ou +0,78%) e Minas Gerais (+28.207 postos ou +1,12%).(portal.mte.gov.br)