Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 19 de Outubro de 2021

Economia

Novo mínimo pode ser definido amanhã na reunião das centrais com o governo

Wilson de Aquini

01 de Fevereiro de 2011 - 14:10

O Governo e as centrais sindicais voltam a se reunir nesta quarta-feira (2) às 10 horas no Palácio do Planalto para tentar fechar acordo sobre o valor do novo salário mínimo. As centrais querem R$ 580 e o governo diz que não, mas admite avançar de R$ 540 para R$ 545.

“Estamos na expectativa de chegarmos aos R$ 580 que seria melhor para os trabalhadores brasileiros que teriam maior poder de compra e ainda retribuiriam aquecendo a economia”, afirmou hoje pela manhã Idelmar da Mota Lima, presidente da Força Sindical Regional Mato Grosso do Sul.

A reunião será com o ministro-chefe da Secretaria-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho. A pauta será aumento do salário mínimo, reajute para os aposentados e correção da tabela do Imposto de Renda.

Idelmar, que está em Brasília para acompanhar a posse de deputados e senadores, deverá permanecer na capital federal até amanhã para a reunião com o governo. Lideranças de todas as centrais sindicais do País sentam com autoridades do governo para tentar chegar a um acordo sobre o valor do novo salário mínimo.

Os sindicalistas defendem o mínimo de R$ 580 reais, reajuste de 10% para os aposentados que recebem acima do piso e a revisão da tabela do Imposto de Renda em 6,5%. No caso do salário mínimo, segundo Idelmar, o Governo encaminhou ao Congresso no ano passado medida provisória (516/10) que reajusta o mínimo para R$ 540 a partir de 1º de janeiro deste ano. “Apesar de já estar em vigor, o valor ainda pode ser aumentado pelos deputados e senadores durante a votação da MP”, explica o sindicalista.