Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 16 de Janeiro de 2021

Economia

Redução na tarifa de energia será "como anunciei", afirma Dilma Rousseff

Para bancar a diminuição média da conta de luz a 20,2%, patamar que havia sido anunciado pela presidente, o Tesouro Nacional terá de injetar recursos públicos.

Terra

24 de Dezembro de 2012 - 15:53

A presidente Dilma Rousseff reafirmou neste domingo (23), em pronunciamento de final de ano em cadeia de rádio e TV, que, em 2013, a redução na tarifa de energia elétrica será a que ela anunciou em setembro.

Na ocasião, também em pronunciamento na TV, ela disse que a conta de luz teria uma redução de 16,2% para o consumidor e de até 28% para a indústria, o que resultaria numa diminuição média de 20,2%.

“O governo federal reduziu encargos que incidiam sobre a conta de luz. Fizemos também acordos com a maioria das concessionárias. Elas irão praticar tarifas mais baixas em troca da renovação de seus contratos. Isso significa que, no início de 2013, a sua conta de luz e a das empresas vão ficar menores. O corte será o que anunciei”, disse a presidente no pronunciamento de 11 minutos gravado no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência da República.

Para bancar a diminuição média da conta de luz a 20,2%, patamar que havia sido anunciado pela presidente, o Tesouro Nacional terá de injetar recursos públicos. Isso porque as concessionárias de energia elétrica que atuam nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná – todos os três administrados por governantes do PSDB –, se recusaram a aceitar as condições impostas pelo Palácio do Planalto para participar do plano de diminuição dos custos da energia.

Na última quarta (19), o ministro da Fazenda, Guido Mantega, revelou, durante café da manhã com jornalistas, que o custo extra para o Tesouro Nacional será de R$ 2 bilhões a R$ 3 bilhões.