Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 24 de Outubro de 2021

Economia

Senadores defendem mínimo acima dos R$ 545

O valor corresponde à proposta feita pelo candidato José Serra, derrotado na disputa pela presidência da República

Campo Grande News

14 de Fevereiro de 2011 - 14:23

Para os três senadores de Mato Grosso do Sul, Waldemir Moka (PMDB), Delcídio do Amaral (PT) e Marisa Serrano (PSDB), o salário mínimo poderá ultrapassar o valor de R$ 545 proposto pelo governo.

Para Moka, apesar de o governo ter a proposta de R$ 545 “sempre há espaço para negociação”.

Segundo ele, também existe uma ideia de se antecipar o salário mínimo de 2012. Neste caso, o aumento poderia ser maior neste ano para ficar congelada no próximo.

“Essa proposta poderá ser discutida”, afirmou, segundo a sua assessoria. "Não adianta defender qualquer proposta agora, antes de chegar ao Senado”.

O senador Delcídio do Amaral também diz que irá tentar um aumento superior aos R$ 545. Ele vem defendido essa posição desde janeiro.

Ele chegou a afirmar que as negociações iriam prosseguir “até chegarmos a um denominador comum, com um valor um pouco acima de R$ 540, que reponha, pelo menos, a correção da inflação de 2010”.

Já a senadora Marisa Serrano afirmou nesta segunda-feira que defenderá no Senado a proposta de reajuste de R$ 600,00 para o salário mínimo.

O valor corresponde à proposta feita pelo candidato José Serra, derrotado na disputa pela presidência da República.

Marisa diz que se o governo utilizar o critério de responsabilidade nos gastos públicos poderá manejar o orçamento para fazer avançar o valor real do mínimo.

“Se reduzir os gastos supérfluos, dar um freio no inchaço da máquina e combater verdadeiramente a corrupção, acho possível garantir o mínimo de R$ 600”, afirmou a senadora.

Ela lembrou da decisão do governador Geraldo Alkmin de instituir o salário mínimo regional de R$ 600 para São Paulo. “Alkmin mostra que com boa gestão e controle da economia é possível garantir o aumento decente do mínimo”, disse.

Segundo a senadora tucana, a oposição na Câmara e no Senado estão unidas em torno deste valor. “Vamos lutar por esta conquista para todo o Brasil”, disse.