Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 22 de Julho de 2024

Esporte

Aos que cobram referência, Lucas afirma:

Negociado por R$ 108 milhões com o Paris Saint-Germain, Lucas deixará o futebol brasileiro no ano que vem

Globo Esporte.com

19 de Setembro de 2012 - 13:21

Lucas deixou de lado o jeito de garoto e falou feito homem. Se os apenas 20 anos de idade ainda o colocam aparentemente inexperiente, os feitos no futebol dão ao meia-atacante do São Paulo outro status.

Titular nos últimos dois jogos da Seleção e confirmado para o duelo com a Argentina, nesta quarta-feira, às 22h, em Goiânia, pelo Superclássico das Américas, ele avisa àqueles que procuram por referência no time de Mano Menezes: "essa geração é a cara da Seleção e será a da Copa do Mundo".

É claro que até a Copa das Confederações de 2013, quando Mano pretende já ter o time do Mundial de 2014, um ou outro jogador mais experiente pode aparecer nas listas do treinador. De qualquer maneira, o que Lucas deixou claro em sua entrevista em Goiânia é que apesar da ascensão meteórica de jogadores como ele e Neymar, do Santos, o Brasil está muito bem servido com os seus garotos.

- Tudo aconteceu muito rápido na minha vida, é verdade. Tenho apenas 20 anos e já aconteceu muita coisa comigo. Mas não cheguei aqui à toa. Batalhei demais para ser convocado. É um sonho estar na Seleção. Tenho de procurar aproveitar meus momentos, com todos os outros jogadores, porque essa nova geração é a cara da Seleção e será a que vai à Copa do Mundo - declarou Lucas.

Negociado por R$ 108 milhões com o Paris Saint-Germain, Lucas deixará o futebol brasileiro no ano que vem. E não poderá, assim, participar mais do Superclássico das Américas, como fez no ano passado e fará nesta temporada. O ainda são-paulino, aliás, quer logo recuperar a confiança do torcedor brasileira na Seleção. Ele não quer mais ver vaias como as que ocorreram em São Paulo, na vitória sobre a África do Sul.

- Temos de conquistar títulos e fazer bons jogos. Só assim vamos reconquistar a confiança do torcedor. Precisamos mostrar muito empenho - completou o tricolor.

Além dos dois jogos com a Argentina, pelo Superclássico das Américas (o primeiro nesta quarta-feira, em Goiânia, e o segundo no dia 3, em Resistencia), o Brasil tem mais três partidas nesta temporada. Todas amistosas. No dia 11 encara o Iraque, na Suécia, no dia 16 o Japão, na Polônia, e no dia 14 de novembro, ainda sem adversário.