Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 20 de Junho de 2024

Esporte

Boca Juniors empata e decide a Libertadores com o Corinthians

Folha

22 de Junho de 2012 - 09:25

O Corinthians conheceu, nesta quinta-feira, seu adversário na decisão da Taça Libertadores. E não é um adversário qualquer. O Boca Juniors, que empatou em 0 a 0 com a Universidad de Chile, em Santiago, chega à sua décima final de Libertadores.

O time argentino já conquistou o cobiçado troféu das Américas seis vezes: em 1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007.

Na última quinta-feira, a equipe comandada pelo treinador Julio César Falcioni encurtou o caminho até a final ao vencer "La U" por 2 a 0 na Bombonera, em Buenos Aires. Com o resultado, poderia empatar ou até perder por um gol de diferença no estádio Nacional, na capital chilena.

Lance da partida entre Universidad de Chile e Boca Juniors durante jogo em Santiago pela Taça Libertadores

Mesmo com a vantagem obtida no jogo de ida, o Boca Juniors criou as melhores oportunidades do primeiro tempo.

Desde a fase de grupos, o Boca não perdeu uma partida sequer jogando fora de casa --foram três vitórias e três empates no território adversário.

Sob a regência de Riquelme, com seus lançamentos certeiros, a equipe visitante ameaçou o gol do Chile já aos 7min.

O início do lance saiu dos pés do maestro argentino, que lançou Mouche pela direita e recebeu de volta, para tentar a finalização. De primeira, Riquelme acertou uma bomba no travessão de Johnny Herrera.

A resposta dos donos da casa veio somente aos 23min. Após cobrança de falta, Fernandes subiu mais que todo mundo e cabeceou no chão, no canto esquerdo de Orión, que se esticou todo para fazer a defesa.

No decorrer da etapa inicial, Riquelme continuou caprichando nas assistências, principalmente para Mouche. O camisa 7, no entanto, desperdiçou duas boas chances. Na primeira, foi desarmado dentro da área e, na segunda, finalizou, sozinho, em cima de Herrera.

Do outro lado, a Universidad demonstrava nervosismo e errava muito --tanto na troca de passes quanto nas finalizações.

As duas equipes voltaram inspiradas na etapa complementar.

"La U" devolveu a bola no travessão aos 9min, com cobrança quase perfeita de Díaz. Orión nem se mexeu.

Embalada pela sua torcida, Universidad do Chile cresceu na partida e passou a buscar o gol com mais frequência e qualidade. O arqueiro argentino salvou ao menos duas bolas que tinham endereço certo.

Outra bola na trave, desta vez de Ruidíaz, e pressão total em cima do Boca Juniors, que adotou um comportamento defensivo e apenas administrou o resultado.