Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 20 de Setembro de 2020

Esporte

Em entrevista, Bandeira cita incêndio do Ninho: "Se eu ainda fosse presidente, tenho quase certeza que não teria acontecido"

Ex-presidente do Flamengo, indiciado no inquérito sobre o caso, falou da tragédia ao jornalista Jorge Nicola

GloboEsporte

20 de Abril de 2020 - 12:48

Eduardo Bandeira de Mello voltou a se eximir da culpa do incêndio do Ninho do Urubu, em fevereiro de 2019. O ex-presidente do Flamengo, que já não estava mais no cargo no dia da tragédia, foi um dos indiciados no inquérito enviado ao MP sobre o caso. Em entrevista ao jornalista Jorge Nicola, da ESPN Brasil, ele falou sobre o assunto.

- Se eu ainda fosse presidente, tenho quase certeza que não teria acontecido o incêndio. Fiquei lá seis anos e não aconteceu nada. O que aconteceu ali, eu já não estava mais lá, e sinceramente não sei qual foi a causa. Mas espero que o MP chegue à verdade. Porque é muito desagradável se ter inocentes sendo acusados de maneira totalmente injusta. Um deles sou eu.

O presidente ressaltou o sofrimento das famílias e criticou a atual gestão do clube por ainda não ter acertado a indenização com todas as famílias.

- Nada se compara ao sofrimento dos pais e familiares dos meninos ao perder uma criança naquela situação. Na história do Flamengo não tem nada mais triste, nada mais vergonhoso e mais trágico. Acho que quem está junto com as famílias já deveria ter resolvido isso. O Flamengo teve a chance de resolver logo no início, com a defensoria e o MP. Mas eu não estava mais lá, não posso fazer nada.