Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 23 de Junho de 2024

Esporte

Garotas do vôlei lavam a alma no sábado olímpico, arrasando as americanas

Zé Roberto havia lembrado que, quando chegou a uma final de Olimpíadas, nunca havia perdido. Agora é o único técnico do vôlei tricampeão olímpico.

R7

11 de Agosto de 2012 - 20:38

Outro jogo épico da seleção feminina de vôlei, que lavou a alma dos brasileiros neste sábado (11), penúltimo dia das Olimpíadas de Londres. As garotas do técnico José Roberto Guimarães tiveram cabeça para desestruturar totalmente as norte-americanas e conquistar o bicampeonato com louvor, com valentia para virar o marcador e fechar 3 sets a 1, de forma alegre e sensacional. Jaqueline brilhou, assim como Fê Garay, mas o time brasileiro como um todo foi excepcional.

Depois de um início de campanha desesperador, dependendo de resultados de adversárias para a classificação, as brasileiras chegaram à final e foram campeãs com 11-25, 25-17, 25-20 e 25-17, acabando com o sorrisinho das campeãs mundiais dos Estados Unidos.

Zé Roberto havia lembrado que, quando chegou a uma final de Olimpíadas, nunca havia perdido. Agora é o único técnico do vôlei tricampeão olímpico. E também o único brasileiro a ter conquistado três ouros.

O técnico Hugh McCoutcheon e a capitã e levantadora Lindsey Berg haviam mostrado toda a arrogância por dois títulos olímpicos, dizendo na primeira coletiva em Londres que estavam na cidade para ficar com o ouro, pois não temiam ninguém.

Neste sábado (11), simplesmente não conseguiram sair da teia tática armada pelo técnico Zé Roberto. Com saques venenosos, para desestruturar a armação de jogadas e nular Hooker, o Brasil foi minando as rivais

O saque tático e consistente das brasileiras as atacantes sofrerem muito para a armação de jogadas a partir do segundo set. As norte-americanas pararam de mascar chiclete, fecharam a cara, mas as brasileiras tiveram tranquilidade para ir buscar, ponto a ponto, a desvantagem, e colocar toda a pressão para o lado das adversárias. Elas sentiram e começaram a errar demais, deixando o caminho livre para mais uma glória do vôlei brasileiro.