Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 27 de Novembro de 2020

Esporte

Julio César defende Felipão e Parreira e vê ida para MLS como retribuição

Agora no Toronto FC, goleiro reconhece que comissão técnica aguentou cobranças por bancá-lo na Seleção, mas garante que nunca temeu ficar fora da Copa

Globo Esporte.com

15 de Fevereiro de 2014 - 07:55

Acabou a apreensão. Após oito meses no banco de reservas do Queens Park Rangers, Julio César, enfim, tem um novo clube e a possibilidade de atuar com frequência nos poucos meses que faltam para a Copa do Mundo. Apresentado no Toronto FC, o goleiro ressaltou a relação que tem com Luiz Felipe Scolari e Carlos Alberto Parreira e agradeceu pela paciência que a dupla teve enquanto ele definia seu futuro.

- O que o Felipão e o Parreira vêm fazendo por mim é uma coisa realmente incrível. Eu acho que chegou um momento em que eu tinha que ajudá-los de certa maneira, que era jogar. Porque era muito complicado jogar numa seleção brasileira, onde a concorrência é muito grande, sem estar jogando. A pressão é muito grande, a cobrança é enorme, especialmente em cima deles dois - disse o jogador ao GloboEsporte.com, após sua apresentação.

Mesmo reconhecendo a cobrança sobre sua permanência na Seleção, Julio César garantiu que jamais temeu perder um lugar na equipe. No fim do ano passado, o técnico Luiz Felipe Scolari garantiu a presença do arqueiro na Copa do Mundo. Para o goleiro, o bom relacionamento com o treinador o deixou tranquilo.

- Isso (temer ficar fora da Seleção) nunca passou pela minha cabeça, porque o meu diálogo com o Felipão e o Parreira sempre foi muito aberto - completou.

Sobre o tempo em que ficou no banco de reservas do Queens Park Rangers, Julio César ressaltou que só ficou sem jogar por problemas fora das quatro linhas. No mês passado, o próprio dono do QPR, Tony Fernandes, reconheceu que o brasileiro só não jogava porque, no início da temporada, o clube contava com a saída do arqueiro.

- Eu fiquei um pouco triste pelo fato de não estar atuando, mas, ao mesmo tempo, tranquilo, porque sabia que não era uma escolha técnica, e sim por problemas extracampo, de contrato. Mas o mais importante é que eu treinava para manter a forma. Agora estou tendo a oportunidade de jogar e, se Deus quiser, chegar à Copa do Mundo bem.

Especulado em diversos times europeus e brasileiros antes de fechar com o Toronto, Julio César revelou que realmente foi procurado por outros clubes, mas disse que não foi possível chegar a um acordo satisfatório.

- A gente não chegou a um acordo contratual. Essa é a verdade. Cheguei a falar com alguns clubes do Brasil, com alguns clubes da Europa, mas a verdade é que o acordo não saiu por pequenos detalhes.