Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 27 de Novembro de 2021

Esporte

Neymar conquista Camp Nou, mas Messi segue como "dono" do estádio

Craque brasileiro deixa boa impressão em seu novo estádio. Torcedores gostam, mas o mais aplaudido em goleada é o camisa 10 argentino

Globo Esporte.com

03 de Agosto de 2013 - 11:43

Foi um Camp Nou diferente aquele que vimos durante a goleada do Barcelona por 8 a 0 sobre o Santos, sexta-feira, pelo troféu Joan Gamper. O estádio não tinha a mesma aparência de um jogo de Liga dos Campeões, nem estava lotado como se tinha previsto na véspera. Com muitos turistas entre os torcedores, as arquibancadas apresentavam outro clima.

Em apenas um momento da noite, o Camp Nou se multiplicou em gritos e aplausos para as grandes estrelas: Neymar e Messi. Afinal, milhares de pessoas compraram ingresso apenas para assistir à estreia da dupla em campo, que durou apenas 16 minutos.

Apesar da chuva de gols, os maiores aplausos da noite apareceram durante a apresentação oficial do time para a próxima temporada, antes da bola rolar. Messi e Neymar subiram nessa ordem e o brasileiro recebeu a segunda maior ovação da noite. A primeira foi para o argentino, que deixou claro em campo e fora dele que continuará sendo o número um.

- É uma grande felicidade jogar com estes gênios. Messi é um gênio, é uma grande pessoa e estou muito feliz por ter jogador ao seu lado - afirmou Neymar na "zona mista" do estádio após o encontro, se desfazendo em elogios ao craque argentino, como foi habitual na última semana.

Apesar de ser sua estreia no Camp Nou e com apenas uma semana de treinamentos, Neymar se saiu bem. O craque começou no banco, mas entrou no segundo tempo. O gol não apareceu, mas o brasileiro voltou a causar expetativa entre os torcedores pelas habilidades demonstradas em campo.

- Gostei, gostei muito do Neymar. Não jogou com os melhores, porque já não estavam Xavi e Iniesta, com Messi ficou só 16 minutos. Ele também começou agora a pré-temporada, mas vai triunfar aqui no Camp Nou, é muito bom jogador - observou Isaac Villar, construtor civil de 32 anos, que é presença assídua nas arquibancadas.

No final da partida, a satisfação dos torcedores em relação à estreia de Neymar era geral, mas a maioria destacou a liderança de Messi, que consideram, continuará sendo o número 1 por muito tempo.

O novo camisa 11 ficou no banco de reservas durante o primeiro tempo. O técnico Tata Martino escalou a base da temporada passada e Neymar teve de aguardar para entrar em campo, algo que o craque já esperava:

-  Eu já sabia que não ia jogar de início. Perdi um pouco a minha forma física nessas últimas semanas e agora tenho de recuperar.

A presença de Neymar no banco de reservas desviou até as atenções dos torcedores do jogo, que ia sendo completamente dominado pelo Barça. Várias pessoas se deslocaram de seus lugares para ir até às arquibancadas mais próximas do banco do Barça, fazer foto de Neymar. O brasileiro, porém, não se desconcentrou. O craque esteve sempre focado no jogo, que assistiu de fora, durante o primeiro tempo. A observação detalhada do comportamento dos companheiros em campo pode ajudar Neymar em sua adaptação e o craque não perdeu um segundo do que se passava entre as quatro linhas. 

No segundo tempo, Neymar entrou em campo, juntamente com Messi, mas Tata retirou os habituais titulares. Saíram Daniel Alves, Iniesta, Pedro, Piqué, Busquets, Alba e Xavi. Neymar teve apenas o prazer de jogar ao lado do argentino durante 16 minutos. Para vermos Neymar entre os titulares, talvez ainda demore um pouco, mas o brasileiro demonstrou em campo que pretende diminuir o tempo de espera.

Antes de o juiz dar início ao segundo tempo, o brasileiro voltou a ser protagonista, mesmo sem nada fazer por isso. Uma cena não muito agradável perturbou a festa do Joan Gamper. Quando todos os jogadores estavam já posicionados e concentrados para o começo do segundo tempo, um torcedor (com roupa do Corinthians) invadiu o campo correndo na direção de Neymar.

Não sabemos o que pretendia, mas o craque ficou parado, ao lado do santista Giva, e não mostrou qualquer receio pela atitude do invasor, mas foi evidente que o homem queria chegar em Neymar. Alguns seguranças e funcionários do Camp Nou conseguiram desviá-lo, mas demorou alguns segundos até retirarem o torcedor do campo, com agressividade desnecessária, e a cena desagradável afetou os ânimos do jogo. Quem não saiu prejudicado foi o Barcelona. Os "blaugranas", mesmo sem os habituais titulares em campo, continuaram dominando o jogo e goleando o Santos.

45 minutos de habilidades em campo

Os cinco minutos iniciais foram mais lentos e o Barcelona criou poucas ocasiões. A bola também não chegou na ponta esquerda, onde se encontrava Neymar, mas o craque não deixou de correr e de se movimentar em campo procurando espaços. Messi estava lá, no centro do ataque, e o jogo passava pelos pés argentino. Aos 12 do segundo tempo, Neymar arrancou pela esquerda e o Camp Nou se levantou, o craque tentou colocar a bola na cara do gol, mas não conseguiu.

Aos 14, ainda no meio-campo, a dupla Neymar e Messi teve sua primeira construção de jogo. Neymar procurou o argentino, isolado, do lado oposto, e deu uma bonita abertura para o camisa 10, que contudo não conseguiu completar. O Camp Nou aplaudiu Neymar pela primeira vez em campo.

O ex-santista recebeu mais duas bolas de peito em lances bonitos e passou rápido. O craque procurava jogar ao primeiro toque, como fazem os "blaugranas" e mostrou adaptação ao estilo de jogo catalão. O Barcelona continuava dominando com um Neymar muito participativo, sobretudo no apoio aos colegas. Porém, aos 16, Tata substituía Messi e deixava um sabor amargo nos torcedores.

O Camp Nou dedicou mais uma ovação ao grande ídolo e melhor jogador da história do clube. O argentino foi substituído para a entrada de Dongou, uma das revelações jovens do Barcelona para esta temporada, e escutou milhares de pessoas gritando o seu nome e aplaudindo de pé. Messi abandonou o campo com um gol, uma assistência e tantas jogadas geniais.

O argentino viria a ser reconhecido no final do encontro como melhor jogador em campo. E sem ficar indiferente à ovação que durou cerca de um minuto e meio, Neymar aguardou que Messi passasse junto a ele e prestou também sua homenagem ao camisa 10, cumprimentando e aplaudindo. Um gesto bonito do brasileiro que foi retribuído por Messi, sorrindo e dando uma palmada em Neymar.

Apesar do bom feeling e entrosamento demonstrado pela dupla foi, curiosamente, após a saída de Messi que Neymar apareceu mais em campo. Sobressaiu o entrosamento do brasileiro com Cesc Fàbregas e Alexis Sanchez (grande concorrente de Neymar em busca da titularidade).

O craque se sentiu mais à vontade para conduzir a bola como protagonista e os companheiros também procuraram mais vezes o camisa 11. Quando Messi está em campo, é evidente, que todas as jogadas passam pelo argentino e por isso ficam mais concentradas no meio campo.

Aos 22 minutos, Neymar perdeu sua primeira bola, que foi em seguida recuperada pelo volante Sergi Roberto, o brasileiro recebeu,  driblou o adversário e ofereceu o gol a Fàbregas logo em seguida. Uma assistência bonita de Neymar, Fàbregas agradeceu e o Camp Nou cantou o nome do catalão, que demonstrou serviço na noite de sexta, tentando evitar uma transferência para o Manchester United.

No decorrer do minuto 26, Neymar voltou a encantar o Camp Nou, que se levantava a cada jogada do brasileiro. Cada vez mais solto, o camisa 11 correu com a bola nos pés pela ala esquerda e foi até à linha final da área numa disputa com Cicinho. Mas o ex-companheiros do craque não facilitaram nem um pouco a sua estreia e se demonstraram mais intensos e competitivos sempre que a bola estava nos pés de Neymar. O lance terminou com lançamento do goleiro. O Barcelona já vencia por 7 a 0, com gols de todos e para todos os gostos, mas sem o de Neymar.

O brasileiro tentou entrar algumas vezes de "9", furando a zaga adversária e Fàbregas quis notoriamente ajudar Neymar a marcar o seu primeiro gol em Camp Nou, mas não era a noite. Aos 28, recebeu de peito, driblou Dracena em mais uma jogada rápida que entusiasmou o estádio, mas o zagueiro cortou para canto. Neymar continuava tentando o chute de longe, mas havia sempre algum jogador do Santos para cortar.

Aos 37 minutos, o Camp Nou voltou a festejar um gol, dessa vez de Dongou e cinco minutos depois, o camaronês fez jogada bonita, driblou dois e ofereceu gol a Neymar que aguardava na esquerda. O brasileiro rematou com toda a força, parecia que a bola iria entrar, entusiasmados os torcedores aguardavam de pé para festejar aquele que teria sido o primeiro gol de Neymar em Camp Nou, mas Vladirmir estragou a festa, defendeu e a bola terminou no travessão. Neymar estava destinado a não marcar em seu novo estádio. O gol, porém, não vai tardar, garantiu o brasileiro no final do encontro.

- Eu pensei que aquela bola fosse entrar, não entrou, mas não tem problema, logo, logo o gol vai sair - observou Neymar com um sorriso no rosto.

O mais importante o novo reforço catalão já conseguiu: superar a pressão do Camp Nou e demonstrar ao treinador, companheiros e torcedores que está se esforçando para se adaptar rapidamente ao estilo do jogo do Barça. Neymar não demonstrou ser egoísta, como muitos temiam, agradou aos torcedores e criou expetativas pelos bonitos lances criados, passes espetaculares, como o toque de calcanhar para Adriano aos 38, receções inteligentes, dribles e boas assistências. Uma mistura de ingredientes que vão rapidamente resultar em gol para o camisa 11. Quem sabe não será em um momento decisivo? Como na disputa pela Supercopa da Espanha, dias 21 e 28 de agosto contra o Atlético de Madri, ou na estreia do Campeonato Espanhol, no Camp Nou, contra o Levante. Aguardemos.