Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 24 de Outubro de 2021

Esporte

No 1º jogo sem Diego Souza, Cruzeiro bate lanterna Náutico e volta ao G4

Apesar de sua superioridade em campo, o Cruzeiro fez seu torcedor passar por sustos em alguns momentos da partida

Uol Esportes

15 de Julho de 2013 - 00:21

Sem Diego Souza, negociado oficialmente com o Metalist e substituído por Lucca, o Cruzeiro venceu o Náutico, por 3 a 0, na noite deste domingo, em sua primeira partida no Mineirão pelo Campeonato Brasileiro. Com o triunfo, o time celeste atingiu o seu objetivo de voltar ao G4, com 12 pontos, enquanto a equipe pernambucana permaneceu na lanterna.

Apesar de sua superioridade em campo, o Cruzeiro fez seu torcedor passar por sustos em alguns momentos da partida, por ter cometido alguns vacilos, especialmente em seu sistema defensivo. O Náutico, no entanto, mostrou pouca eficiência nas finalizações e acabou não quebrando o tabu e segue sem ter vencido o clube celeste como visitante. O time de Marcelo Oliveira, por sua vez, voltou a vencer no Brasileiro, após dois empates.

Foi um jogo festivo, por um lado, devido à homenagem ao goleiro Fábio, pela marca de 500 jogos, atingida no sábado atrasado, no empate com a Portuguesa. Antes de seu 502º jogo, diante do Náutico, o camisa 1 recebeu uma camisa alaranjada, como uma placa estilizada, entregue pelo presidente Gilvan de Pinho Tavares.

Fábio entrou sozinho, passando pela boca do ‘Raposão gigante’, armado no túnel lateral, de mãos dadas com seu filho Pablo, cumprimentou os demais jogadores e foi homenageado pelo presidente Gilvan de Pinho Tavares. Entre os colegas perfilados, a ausência era Diego Souza, que chegou a ser relacionado para o jogo, mas deixou a concentração na noite de sábado.

Logo que a bola começou a rolar, o Cruzeiro oficializou a negociação de Diego Souza para o Metalist por 6 milhões de euros e o empréstimo do atacante Willian, ex-jogador do Corinthians. Escalado por Marcelo Oliveira no lugar do atleta negociado, Lucca se disse preparado e revelou ter ficado sabendo da saída do camisa 10 sábado à noite. “O Diego Souza reuniu o pessoal e contou”, informou o camisa 21.

O primeiro tempo começou com um susto para o torcedor do Cruzeiro, aos 3 min, quando a defesa falhou e a bola sobrou para Marcus Vinícius, que chutou e a bola desviou em um adversário. Refeito desse lance, o Cruzeiro fez 1 a 0, aos 9 min. Foi uma boa jogada de Lucca pela esquerda, cruzando certinho para Ricardo Goulart, outro que era reserva do time celeste, para colocar a bola nas redes.

A impressão é que o Cruzeiro não demoraria a marcar outros gols. As jogadas ofensivas celestes seguiam envolvendo o Náutico, que, no entanto, teve suas chances para empatar. Numa delas, Rogério foi lançado por Magrão, bateu cruzado, mas errou o alvo.

Na outra Dedé furou, só que conseguiu evitar a finalização do mesmo Rogério e Fábio, que teve pouco trabalho, defendeu chute de longe de Magrão. As melhores oportunidades, entretanto, foram dos donos da casa, como em chute de primeira de Lucca, aos 38 min, bem defendida por Ricardo Berna. Dessa forma, a etapa inicial ficou só no 1 a 0.

O segundo tempo voltou com o Cruzeiro dando a impressão de estar desligado. O Náutico voltou melhor, rondando a área cruzeirense, mas mostrando problemas de finalização. Em seu primeiro ataque perigoso na etapa final, aos 8 min, o time celeste chegou ao segundo gol. Everton Ribeiro fez boa jogada, chutou duas vezes, mas a bola sobrou para o jovem atacante Vinícius Araújo colocar a bola nas redes.

Em desvantagem, o técnico Zé Teodoro tirou o volante Magrão substituindo-o pelo atacante Jonatas, sem conseguir mudar o panorama ofensivo do seu time. Já no Cruzeiro, Marcelo Oliveira tirou Lucca, colocando o argentino Martinuccio. Os dois jogadores, que disputam a vaga de Diego Souza, foram igualmente aplaudidos pelos torcedores. Sem forçar muito, o Cruzeiro ampliou sua vantagem aos 25 min, novamente com Vinícius Araújo. Aos 42 min, Fábio evitou que o jogo em que foi homenageado terminasse marcado por um gol sofrido, ao defender chute forte de Dadá, de fora da área.