Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 18 de Maio de 2021

Esporte

Para Tite, Seleção ainda depende de Neymar e tem muito a evoluir

Reflexo disso foi a ausência do nome de Neymar nas questões a Tite durante a entrevista coletiva após o clássico no Mineirão.

Gazeta Esportiva

11 de Novembro de 2016 - 13:10

O Brasil fez 3 a 0 em cima da Argentina na noite desta quinta-feira com gols de Philippe Coutinho, Neymar e Paulinho, mas, além disso, conseguiu anular Messi e teve uma atuação em que todos os jogadores se destacaram. O trabalho coletivo sobressaiu em cima do individual. Reflexo disso foi a ausência do nome de Neymar nas questões a Tite durante a entrevista coletiva após o clássico no Mineirão.

O craque brasileiro, antes centro de todas as atenções, só foi lembrado em uma das últimas questões, quando Osmar Garrafa, repórter da TV Gazeta abordou Tite justamente sobre esse tema específico, mas o técnico garantiu que a seleção segue dependendo de Neymar, mas de uma outra forma.

“Dependia antes, continua dependendo agora e alguns conceitos que eu entendo, ao longo do tempo, não mudam. O Cavaliers (equipe de basquete Cleveland, Estados Unidos) foi campeão da NBA com seu maior astro (LeBron James) fazendo uma ação defensiva”, explicou, antes de completar.

“A gente tem que entender e valorizar quando o Neymar ou o Gabriel Jesus fazem uma ação. Porque tem uma história que é assim ‘há, se voltar para marcar não tem força para chegar na frente’. Uma das grandes mentiras do futebol. Os dois marcaram e os dois tiveram força para chegar na frente e fazer a jogada do gol”, lembrou o treinador, citando a jogada do segundo gol, aos 45 minutos do primeiro tempo.

E por mais que Tite tente amenizar a euforia criada em cima do momento da Seleção Brasileira, as cinco vitórias consecutivas com 15 gols marcados e apenas um sofrido (e contra) falam mais alto. Mesmo assim, para o sucessor do tão criticado Dunga, o Brasil não recuperou o respeito depois de sua chegada e está longe do futebol que ele entende como ideal.

“O respeito já tinha antes. A história toda e o peso que eu tenho de estar numa cadeira onde grandes técnicos permaneceram, os atletas onde tantos craques jogaram. São cinco jogos, estou feliz, sim, satisfeito? Satisfeito. Satisfeito com desempenho? Satisfeito com desempenho. Mas são etapas de uma classificação para o Mundial. Tem ainda muito, bastante aspectos a evoluir. Falei da flutuação do Coutinho, saber sofrer quando o adversário está melhor. O Alisson fez a defesa do jogo quando estava 0 a 0. A Argentina estava melhor. Então, tem muito a crescer”, concluiu Tite.