Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 31 de Outubro de 2020

Esporte

Pouco mais de um mês após assinar, Felipe Ximenes é demitido do Flu

Dirigente não faz mais parte dos planos da diretoria tricolor. Tenório comanda o futebol

Globo Esporte

22 de Janeiro de 2014 - 15:00

Durou um mês e cinco dias. Da data em que firmou compromisso de dois anos com o Fluminense até a véspera do segundo jogo do time pelo Campeonato Carioca, Felipe Ximenes teve pouco tempo de trabalho, mas acabou demitido do cargo. A saída acontece pouco antes do treino desta quarta-feira, atividade preparatória para a partida contra o Bonsucesso. E, com isso, o vice-presidente de futebol Ricardo Tenório passa a centralizar as decisões do departamento.

Ximenes chegou ao Fluminense no dia 17 de dezembro do ano passado. Apesar de discursar sobre o futuro do clube nas entrevistas, logo nos primeiros dias de trabalho acabou como coadjuvante. Ficou fora de boa parte das conversas para a definição de Renato Gaúcho como novo técnico, o que foi definido logo após Ricardo Tenório assumir a vice-presidência de futebol.

Até mesmo na negociação com os reforços Walter e Chiquinho teve pouca participação - Conca havia sido contrato antes da sua chegada. Durante a pré-temporada, em entrevista ao GloboEsporte.com, questionado se havia recebido carta branca no clube, respondeu:

- Ninguém pode ter carta branca no clube. Porque o clube é uma instituição centenária que tem poderes. Quando começa a dar para profissionais autonomia e soberania, está colocando essas pessoas em igualdade ou superioridade a instituições centenárias. Qualquer profissional precisa ter alçada de trabalho. A gente não pode criar personagens para funções.  Autonomia é fazer por si só o que é determinado por alguém. Soberania é estar acima de qualquer coisa. Carta branca é soberania. Ninguém pode ter carta branca.