Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Junho de 2024

Esporte

São Paulo tem "pane defensiva" e toma três do Náutico com direito a gol contra de Ceni

O Náutico confirmou o seu bom momento em casa e conseguiu mais uma vitória expressiva contra um rival do estado de São Paulo

Uol Esportes

16 de Agosto de 2012 - 08:19

Antes do jogo, o discurso dos atletas do São Paulo era de que era hora de falar menos e resolver em campo as falhas da defesa. Mas o que foi visto nesta quarta-feira em Recife foi uma ‘pane’ no setor, principalmente no primeiro tempo, que custou a derrota por 3 a 0 para o Náutico, com direito a gol contra do ídolo Rogério Ceni.

E não poderia ter pior hora no São Paulo para o revés, pois os principais rivais na briga pelo título também perderam pontos (Atlético-MG, Cruzeiro e Fluminense empataram, e o Grêmio foi derrotado em casa). O Náutico confirmou o seu bom momento em casa e conseguiu mais uma vitória expressiva contra um rival do estado de São Paulo (havia feito 3 a 0 no Santos).

A defesa do São Paulo falhou desde o início. Preocupado, o técnico Ney Franco sacou o zagueiro João Filipe aos 10min do primeiro tempo, colocando o volante Casemiro no seu lugar. Mas o que se viu foi outro erro defensivo que gerou no gol de pênalti convertido por Kieza.

A bagunça foi preponderante no sistema defensivo do São Paulo. Casemiro atuou como volante, e não como líbero (havia jogado assim contra o Grêmio no último domingo). Mas os laterais Douglas e Cortez atuaram praticamente como alas, o que gerou um ‘buraco’ no setor. O segundo gol comprovou o problema no setor, quando o volante Denilson foi marcar na defesa, já que o zagueiro Rafael Toloi estava no meio de campo adversário.

O goleiro Rogério Ceni até que tentou ajudar com boas defesas, suas costumeiras orientações aos jogadores (aproveitou um momento que o jogo estava parado e reuniu o grupo para tentar acalmar os atletas) e até um ‘quase-gol’ que enganou boa parte dos espectadores do estádio dos Aflitos (a bola passou na rede pelo lado de fora) e até os narradores da Globo e da Bandeirantes. Mas o que se viu foi um São Paulo inoperante no ataque, com Jadson bem marcado e Ademilson sumido e com muitos erros na defesa. O Tricolor nada criou, apesar de receber mais que o dobro das bolas que o Náutico segundo o Datafolha.

“Não tem mais o que falar. Agora é trabalhar. Falamos demais já. Estamos mostrando pouco”, esbravejou um irritado Denilson na saída do intervalo.

Mas a quarta-feira foi definitivamente um dia para se esquecer no São Paulo, pois até um dos melhores do time na partida (até então) falhou. Rogério Ceni, que antes havia evitado pelo menos duas boas chances de gol do Náutico, teve a proeza de fazer um gol contra após sair de forma atabalhoada em uma cobrança de escanteio.

Ney Franco ainda tentou mudar o time, mas sem sucesso. E o revés foi concretizado, com direito a gritos de olé do torcedor do Náutico. O único consolo para o torcedor do São Paulo após a partida é que, enfim, o meia-atacante Lucas voltará após defender a seleção brasileira nas Olimpíadas e no amistoso contra a Suécia (no próximo sábado contra a Ponte Preta). Mas a realidade que incomoda é que já é a terceira derrota seguida no Brasileirão.