Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 30 de Setembro de 2020

Esporte

Setién assina contrato e se emociona ao ser apresentado no Barcelona: "Jamais pensei"

Treinador concede primeira entrevista na equipe catalã, diz que é fiel às suas ideias de jogo.

Globo Esporte

14 de Janeiro de 2020 - 15:26

Considerado uma aposta no resgate do DNA que tornou o Barcelona conhecido em todo o mundo, Quique Setién não fugiu da responsabilidade em suas primeiras palavras como novo treinador da equipe blaugrana, nesta terça-feira. O comandante deixou claro que pretende fazer a equipe "jogar bem" para buscar as vitórias e se emocionou ao falar da chance de treinar a equipe, agradecendo à diretoria.

- A primeira coisa, sem dúvida, é agradecer a essa instituição, a seu presidente, a Abidal, Ramón (Planes), pela oportunidade que me deram de estar aqui. Nem em meus melhores sonhos poderia imaginar estar aqui. Sou uma pessoa muito emotiva, e hoje é um dia especial para mim, e logo preciso agradecer. E a esperança e entusiasmo com que enfrento este objetivo é sem dúvida o mais importante, que tratarei de transmitir aos jogadores - afirmou Setién em seu primeiro e longo pronunciamento.

Setién ainda citou a rapidez com que o processo de contratação se deu, com correria da diretoria do Barça desde o último domingo, dizendo que "estava passeando ao lado das vacas" em casa, e hoje está no CT treinando os melhores do mundo. E admitiu surpresa pela chance, mesmo com seu currículo pouco chamativo.

- Não tardei cinco minutos em aceitar essa opção (vir ao Barça). Ontem quando me falaram, sabia que poderia estar ali, mas jamais pensava que o Barcelona iria me escolher. Não tenho currículo extenso, não tenho títulos, somente o que demonstrei é que esta filosofia me encanta. O que já fiz foi Betis, Las Palmas e Lugo, que jogaram bom futebol. Não sei se é o suficiente para convencer um clube tão grande, acostumado a jogar bem sempre.

Antes de sua primeira entrevista coletiva no Barcelona, o treinador espanhol comandou um treinamento pela manhã e depois rumou para o Camp Nou para assinar contrato com o clube, com vínculo que vai até 2022. O ex-técnico do Betis foi muito elogiado pelo presidente Josep Maria Bartomeu, que foi o primeiro a falar com os jornalistas, explicando o processo de saída de Valverde e contratação de Setién, admitindo que gostaria que a troca acontecesse "de outra forma".

- Mudamos porque estamos no meio da temporada e precisávamos de um impulso. Com este impulso, aspiramos a Liga, a Champions e a Copa. Evidentemente, gostaria de que as coisas fossem feitas de outra forma, não é como essa diretoria costuma fazer. Conversamos nas últimas semanas com outros treinadores, para falar do futuro, pois é nossa obrigação. E o trabalho estava feito, e por isso era o momento de fazer a mudança - explicou Bartomeu.

O novo técnico garantiu que manterá contato com Valverde, fazendo elogios ao trabalho de seu antecessor. E deixou claro que pretende fazer com que sua jornada à frente do time não seja apenas de conceitos e palavras, mas de trabalho duro, sempre fiel a uma filosofia.

- Temos certeza que vão interpretar rapidamente, porque muitas coisas que vamos propor eles já sabem. Manteremos a intensidade e a exigência para que os jogos não escapem, como outro dia. São palavras, mas logo estará no dia a dia. As convicções são importantes, mas o trabalho também é. Sempre escuto a todos, mas é difícil de me tirar coisas da cabeça, se estou convencido. E todos sabemos como jogam minhas equipes. Sou o primeiro a defender meu time e morrer com minhas ideias. O Barça seguirá seu caminho e melhoraremos tudo que pudermos - disse o técnico.

A promessa, desta forma, é buscar conquistas com um bom futebol.

- Meu objetivo é ganhar tudo que se possa ganhar. Não há outro caminho, que se melhore a cada ano e consiga o máximo de títulos possível, além de jogar bem. O melhor caminho para a vitória é jogar bem. É importante se associar a isso.

Confira outros trechos da entrevista de Quique Setién:

Admiração pelo Barcelona
- Não me dói dizer que desfrutei muito nos últimos 12 ou 14 anos diante da TV vendo este time e estes jogadores, que me fizeram desfrutar do futebol. Foi a cada dia, a cada jogo... Todos os jogos sempre tinham algo agradável para os olhos. Hoje, ao treinar o melhor jogador do mundo e seus companheiros, ainda não sei o que significa. Temos conversado, mas a realidade é que uma coisa é a admiração que sinto e saber que esta é a realidade, mas que cada um tem seu lugar.

Relação com o vestiário
- A relação será sensacional, verão que sou sincero, direto, e quando eu veja algo, trataremos de consertar e convencer que trabalhem, porque talentos eles têm.

Primeiras impressões
- Cada vez que chega um treinador, há um estímulo em cada pessoa que está dentro do vestiário, de maneira imediata. Se nota. É verdade que se pode diluir, mas esse primeiro estímulo que se viu no treino de hoje é o que teremos que manter. Não conheci treinadores que sejam iguais, todos temos matizes. Não sei se minha maneira é melhor ou pior, mas é a minha, e estou convencido que posso transmitir muitas coisas que gosto e que podemos melhorar. Ninguém pensa que está tudo bem. Temos essa energia para chegar a um lugar diferente, e convencer de nossa proposta, detalhes que são importantes.

Conhecendo o time
- Claro que se tem ideia do que é este time, dos jogadores, mas a realidade é que até que esteja dentro e conviva, não sabe onde pode chegar. Tudo foi muito precipitado, ontem estava na minha casa, hoje estou aqui. Tudo é novo. Vimos o time treinar pela primeira vez, há muito que falar e perceber. O que posso dizer é que vou valorizar de verdade a percepção que eu tenha do que eu vir. O contexto será diferente, e a predisposição dos que não jogavam será maior, os que jogavam também. Temos clara a filosofia, mas à espera de ver as coisas.

Uso da base
- Esse clube tem uma base extraordinária. Não conheço com profundidade a maioria dos jogadores, mas virão treinar e participar. Têm que conhecer claramente o time principal. Tenho predisposição absoluta de cuidar dos rapazes, pois sempre que aparece um novo há energia que permite que os de cima não relaxem. É uma mensagem que mando sempre. Se evoluem, podem jogar no time principal e serem mais um.

Mudança na formação
- Acho que temos muitas coisas para falar, não foi nos dado tempo. Não fizemos nada além de pousar. Temos tempo para falar bem destas coisas, tenho claro que sempre vamos tem consenso nas decisões. Avaliaremos, me escutarão. Sou uma pessoa de grupo, convencida de que todos acertamos e erramos. Não é algo que me preocupa, pois temos que pensar no que temos. Respeito o desenho, mas o importante é a filosofia, ter claro como jogamos. O desenho possivelmente avaliaremos em algum momento, a respeito do 4-3-3 ou 4-4-2 que se tem jogado ultimamente. A filosofia não muda, mas o desenho pode.

Mantra "jogar bem"
- Normalmente, nos times que vou ultimamente, só garanto que meu time vai jogar bem. Tanto no Las Palmas, como no Lugo ou no Betis, o time jogava bom futebol. Todos viram que havia uma identidade. Digo isso quando se viu o time aqui jogar bem quase sempre, incluindo o último jogo... Há poucas coisas a melhorar se mantiver esse nível. Somente colocar a bola para dentro.