Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 12 de Abril de 2024

Mato Grosso do Sul

Estado e municípios de MS fecham 2023 com dívida bruta de R$ 11 bilhões

Segundo Tesouro Nacional, valor corresponde a contratação de financiamentos e empréstimos com organismos nacio.

Campo Grande News

22 de Fevereiro de 2024 - 14:57

Estado e municípios de MS fecham 2023 com dívida bruta de R$ 11 bilhões
Homem conta dinheiro em espécie (Foto: José Cruz/Agência Brasil).

Governo do Estado e 53 dos 79 municípios sul-mato-grossenses fecharam 2023 com dívida consolidada de R$ 11,009 bilhões, segundo levantamento do Tesouro Nacional a que o MS em Brasília teve acesso. Desse montante, R$ 8,897 bilhões corresponde à dívida do governo estadual e R$ 2,211 bilhões dos 53 municípios, dos quais R$ 858 milhões de Campo Grande.

Dos 79 municípios, apenas 53 aparecem no relatório do Tesouro Nacional. A explicação é que os demais 26 ainda não entregaram as informações, ou não têm dívida consolidada. Esse indicador compõe-se de dívida mobiliária, contratual, precatórios vencidos e não pagos e outras dívidas, como parcelamento e renegociação.

Em relação ao Estado, 84,2% da dívida consolidada correspondem a empréstimos e financiamentos internos, 14,6% externos, 0,7% outras dívidas e 0,6% precatórios. Já sobre os municípios, a maior parte da dívida se refere a financiamentos internos.

Dívida líquida - No entanto, para fins de cumprimento dos limites de endividamento, o Tesouro utiliza a Dívida Consolidada Líquida (DCL) de cada ente, que corresponde à Dívida Consolidada, deduzidas as disponibilidades de caixa e demais haveres financeiros.

O limite de endividamento sobre a RCL é de 200% para Estados e 120% para os municípios. Já o limite de alerta é 180% e 108%, respectivamente. Além do governo estadual, todos os municípios sul-mato-grossenses cumprem os limites de endividamento e de alerta, conforme balanço do Tesouro.

A dívida líquida do Estado atingiu R$ 3,122 bilhões em dezembro do ano passado, ou 15,82% da receita corrente líquida naquele ano, de R$ 19,740 bilhões. Já entre os municípios, a maior dívida líquida é de Campo Grande, que fechou 2023 em R$ 303,8 milhões, o equivalente a 6,28% da RCL, de R$ 4,837 bilhões.