Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 21 de Abril de 2024

Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul ganha 8,5 mil estudantes em 1 ano

Entre os motivos elencados estão programas escolares, maior número de vagas na rede pública.

Correio do Estado

26 de Fevereiro de 2024 - 09:55

Mato Grosso do Sul ganha 8,5 mil estudantes em 1 ano
Fotos: Bruno Rezende/Governo do Estado.

De acordo com dados do Censo Escolar 2023, do Ministério da Educação (MEC) e do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), em relação a 2022, Mato Grosso do Sul ganhou 8.455 alunos no ano passado, um aumento que pode ser visto na maioria das séries, tanto no ensino público quanto no privado.

Em 2023, a Educação Infantil foi uma das que puxaram esse índice. O total de alunos matriculados em creches em MS, segundo o Censo Escolar 2023, saltou de 61.239 para 64.947 crianças. Na rede pública, a quantidade de alunos matriculados foi de 49.317 para 52.929 e, no ensino privado, foi de 11.922 para 12.118.

Já na pré-escola, o índice passou de 75.979 alunos no total para 80.845 no ano passado, sendo 67.074 crianças matriculadas na rede pública e 13.771 na rede privada, enquanto em 2022 eram 63.537 matriculados na rede pública e 12.142 na rede privada.

O presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação de Mato Grosso do Sul (Undime-MS) e secretário municipal de Educação e Cultura de Chapadão do Sul, Guerino Perius, comenta que um dos fatores para explicar esse aumento de alunos matriculados é o crescimento populacional.

“A atração de oportunidades que o Estado oferece e a melhoria da qualidade da educação na rede pública de ensino” também são pontos citados por Perius como fatores importantes.

“O regime de colaboração está funcionando na prática. Estado e os 79 municípios, em parceria, implantaram o MS Alfabetiza, diálogos socioemocionais, reposição de conteúdos e as condicionalidades cobradas na melhoria dos índices e indicadores educacionais, atrelados ao repasse do ICMS. O Estado também vive um momento de avanços, gestão enxuta e qualificação dos vários setores, que, com certeza, atraem muita gente de todos os estados do Brasil”, conclui o presidente da Undime-MS.

No Ensino Fundamental, o aumento não foi tão expressivo. Em 2023, nos anos iniciais, 222.175 crianças estavam matriculadas em todo o Estado, enquanto em 2022 esse índice era de 221.914.

O ensino público também recebeu a maioria dos estudantes, sendo 190.867 em 2022 e 190.608 no ano passado, enquanto as escolas privadas tiveram 31.047 matriculados em 2022 e 31.567 em 2023.

Nos anos finais do Ensino Fundamental também houve uma estabilização. No ano passado, foram 171.441 alunos matriculados do 6º ao 9º ano e, em 2022, o índice era de 171.487. Nas escolas públicas o total foi de 151.300 matriculados em 2023, e 152.280 no ano retrasado. Já no ensino privado, o índice passou de 19.207 para 20.141 em um ano.

O secretário de Estado de Educação, Hélio Queiroz Daher, comenta que esse aumento vem sendo observado e é reflexo do apoio do governo estadual aos municípios, ao ampliar as vagas ofertadas na Educação Básica., e o índice para este ano deve ser ainda maior.

“Ao todo, a Rede Estadual de Ensino [REE] abriu mais de 25 mil novas vagas para turmas que vão do 1° ao 9° ano, com uma atenção especial para o 4° e o 5° ano, que concentram quase 6 mil dessas novas vagas, de ensino em tempo integral e parcial. Trata-se de uma medida visando contribuir com as redes municipais, que podem reordenar o foco do atendimento para os pequenos”, relata Daher.

No Ensino Médio, o Censo Escolar de 2023 aponta o total de 39.009 alunos matriculados no 1° ano no ano passado, 35.016 na rede pública e 3.993 no ensino privado, enquanto em 2022 o total foi de 37.934 matrículas, com 34.040 alunos em escolas públicas e 3.894 em instituições privadas. 
No 2° ano, o índice teve uma leve queda, saindo de 31.920 alunos em 2022 para 31.655 em 2023.

No ano passado, 3.600 estudantes estavam no ensino privado e 28.055 na rede pública, enquanto em 2022 eram 3.894 em colégios particulares e 34.040 em instituições públicas.

O terceiro ano do Ensino Médio registrou uma queda maior, passando de 29.409 matrículas em 2022 para 27.292 no ano passado. Em 2023, a rede pública comportava 24.283 desses alunos e a rede privada tinha 3.009. Em 2022, o índice era de 26.412 estudantes no ensino público e 2.965 na rede privada.

BRASIL 

Em nível nacional, também foi registrado um aumento no número de matrículas. Segundo o Censo Escolar 2023, na creche, a tendência de crescimento se manteve em relação a 2022, sendo de 3,6% na rede privada e de 5,3% na rede pública.

Ao todo, são 4,1 milhões de crianças em creches, e a meta brasileira é chegar a 50% da população de até 3 anos de idade em instituições de ensino neste ano, o que significa atingir em torno de 5 milhões crianças matriculadas.

Na pré-escola, que abrange geralmente a faixa etária de crianças de 4 anos a 5 anos, em 2023 foram registrados 5,3 milhões de alunos matriculados.

O Censo Escolar aponta que esse dado reflete uma universalização do atendimento educacional a crianças dessa idade, que, segundo o Censo Demográfico de 2022 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são 5,4 milhões no País.

Já na Educação Básica, a maior parte dos alunos matriculados estão no Ensino Fundamental, 26,1 milhões de crianças. No Ensino Médio, foram registrados 7,7 milhões de estudantes em 2023.