Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quinta, 26 de Novembro de 2020

Meio Ambiente

Com redução de focos, equipes são desmobilizadas, mas monitoramento continua

Campo Grande News

19 de Outubro de 2020 - 16:30

Um dia antes de chuva na semana passada, o bioma mantinha 342 focos de incêndio ativos. (Foto: Corpo de Bombeiros/Arquivo)

O Pantanal, tanto em Mato Grosso do Sul quanto no vizinho Mato Grosso, mantém 33 focos de incêndio ativos, segundo dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), nesta segunda-feira. A redução expressiva na quantidade de pontos de queimada fez duas equipes que atuavam no combate, aqui em MS, serem desmobilizadas, mas o monitoramento do bioma continua.

No Pantanal sul-matogrossense, há 16 focos ativos, sendo 11 em Corumbá e cinco em Rio Verde. Segundo o Corpo de Bombeiros na cidade branca, 42 militares dos bombeiros de Santa Catarina e da Força Nacional não seguem mais atuando na linha de frente e foram desmobilizados.

No entanto, a corporação em MS, bem como os militares vindos do Paraná e do Distrito Federal, permanecem em operação, até que todos os focos de incêndio sejam extintos. Segundo os bombeiros em Corumbá, a chuva do último domingo não chegou a todos os locais onde havia focos de incêndio, por isso não foram extintos.

Apesar disso, a precipitação amenizou bastante a carga de fogo e ajudou no combate. Até a quarta-feira, 14 de outubro, um dia antes da primeira chuva registrada após meses, havia 342 focos no bioma, sendo 234 na parte que fica no Mato Grosso do Sul.

As ações fazem parte da Operação Pantanal II, deflagrada pelo Ministério da Defesa no dia 25 de julho sendo coordenada na região pantaneira pelo 6° Distrito Naval. Durante todo ano, o bioma contabilizou 20.879 focos de incêndio, sendo o maior registro desde 1998.