Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sábado, 18 de Setembro de 2021

Policial

Adolescente que matou estudante sofre retaliação e tem casa apedrejada

A adolescente ainda não se apresentou à polícia. O advogado dela havia informado que a jovem iria ser levada à DEPCA nesta tarde, mas desistiu da ideia após ver a movimentação da imprensa.

Campo Grande News

12 de Setembro de 2013 - 14:55

A garota de 16 anos, suspeita de matar à facada, uma aluna de 15 anos, ontem, em frente à Escola Estadual José Ferreira Barbosa, na Vila Bordon, em Campo Grande, teve a casa onde mora apedrejada.

Segundo a delegada da DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), Regina Márcia Rodrigues de Brito Mota, devido aos ataques, a mãe da agressora foi obrigada a sair da residência.

A adolescente ainda não se apresentou à polícia. O advogado dela havia informado que a jovem iria ser levada à DEPCA nesta tarde, mas desistiu da ideia após ver a movimentação da imprensa.

Entenda o caso – Luana Viera Gregório, 15 anos, morreu, nesta quarta-feira (11), na Santa Casa, em Campo Grande, depois de levar uma facada no abdômen, na saída da escola Estadual José Ferreira Barbosa, na Vila Bordon, em Campo Grande. Uma colega de sala, de 16 anos, é suspeita de cometer o crime.

De acordo com a Polícia Militar, Luana foi morta porque borrifou um perfume dentro da sala de aula. A agressora, de 16 anos, teria se irritado, porque é alérgica, e decidiu se vingar no final do expediente escolar.

As duas brigaram e Luana acabou esfaqueada. A perfuração atingiu o fígado da adolescente, que chegou a ser socorrida, deu entrada no hospital às 12h40, mas morreu às 15h, após duas paradas cardíacas, segundo a assessoria de imprensa da Santa Casa.

Segundo a polícia, a faca que a agressora utilizou foi fornecida por uma jovem de 18 anos, amiga da rival de Luana. Além da menina que morreu, outra adolescente, também de 15 anos, teria sido esfaqueada na perna, mas passa bem.

O crime foi considerado fútil pela polícia. As duas agressoras estão foragidas.