Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Segunda, 17 de Maio de 2021

Policial

Adolescente que pediu ajuda em escola após agressões diz que estuprou primo

O caso aconteceu na manhã de ontem (8), no bairro Taquarussu. Segundo vizinhos, as agressões teriam durado mais de um dia.

Campo Grande News

09 de Novembro de 2016 - 10:53

Adolescente de 15 anos que pediu socorro em uma escola municipal de Campo Grande depois de ter sido agredido pela tia confessou a polícia que estuprou o primo, de 6 anos. Este, segundo a mulher, foi o estopim para que ela agredisse o sobrinho, que morava em sua residência.

O caso aconteceu na manhã de ontem (8), no bairro Taquarussu. Segundo vizinhos, as agressões teriam durado mais de um dia.

As informações são do delegado titular da Depca (Delegacia Especializada de Proteção a Criança e ao Adolescente) que detalhou que tia e sobrinho já estavam em conflito há alguns dias. “Como os dois brigavam constantemente o menino de 6 anos tentou alertar a mãe para que ela tivesse cuidado, pois o primo tinha abusado dele”, disse o delegado, que ainda informou que o abuso teria acontecido uma vez.

Furiosa, a mulher agrediu o sobrinho com um cabo de vassoura e socos. O menino sofreu escoriações no pescoço, nuca, rosto e costas. Sangrando, ele foi buscar ajuda em uma escola municipal, localizada em frente à residência da tia, localizada do bairro Taquarussu.

Lá, a Polícia Militar e todos foram encaminhados para a Depca onde em depoimento o adolescente confessou o estupro. “A mãe do adolescente está presa em Mato Grosso, ninguém sabe o paradeiro do pai e o menino ainda disse que já foi vítima de abusos quando menor, mas não disse por quem”, revelou o delegado.

Além, do boletim de ocorrência de agressão foi registrado outro por estupro de vulnerável. “O primeiro será tocado pela Depca. Já o estupro será encaminhado para a Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude)”, explica o delegado.

Como não estava em situação de flagrante o adolescente, por enquanto permanece em liberdade e foi encaminhado ao Conselho Tutelar.