Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Domingo, 3 de Julho de 2022

Policial

Condenado a 5 anos de prisão, assaltante recapturado só ficou menos de um ano preso em regime fechado

Na prática ficou menos de um ano em regime fechado, porque em janeiro já estava em regime semiaberto.

Flávio Paes/Região News

31 de Outubro de 2015 - 17:43

Capturado ontem, sexta-feira, praticamente por acaso pela Polícia Militar no Cascatinha, Alan de Moraes Aguiar, foi condenado em agosto do ano passado a cinco anos de prisão por ter participado (cedendo a motocicleta usada nas ações criminosas)  em janeiro de 2014 de três assaltos (ao Posto Vacaria, ao Restaurante Bistrô e a Roberto Preguiça Gusmão), nos quais teriam usado armas de brinquedo. Há dois meses ele estava foragido da colônia penal em Campo Grande.

Na prática ficou menos de um ano em regime fechado porque em janeiro deste ano já estava em regime semiaberto, sistema no qual o detento sai para trabalhar de dia e dorme na prisão. Ao longo do processo, Alan, que foi representado pela defensoria pública,  sustentou que sua participação nos assaltos teria se limitado a emprestar a motocicleta FAN de placa HTK-0584, utilizada pelos dois adolescentes que também participaram. Seria recompensado com sua lavagem e pintura.

Além de Alan, na mesma sentença a juíza Cristiane Aparecida Biberg de Oliveira, sentenciou o comparsa de Alan nos assaltos, Nathanael Pedro de Lima Brito (o Norturno), condenado a 7 anos, cinco meses e 10 dias. Quem acabou relatando à Justiça o papel de cada um nas investidas criminosas foram  os adolescentes (B.B e H.S.E).

No assalto ao Restaurante Lô Bistrô, no dia 29 de janeiro de 2014, Nathanael Pedro de Lima, ficou do lado de fora, enquanto os adolescentes entraram no restaurante na Avenida Dorvalino dos Santos, foram direto ao caixa e conseguiram levar R$ 600,00.  A juíza entendeu que o fato de ter contribuído para os assaltos, não o livra da condenação. A sentença foi confirmada pelo Tribunal de Justiça.