Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 24 de Maio de 2022

Policial

Crime pode ter sido forjado, diz delegado sobre ossada em carro

Ele tinha passagens na polícia por estelionato, ameaça, falsificação de documentos, porte de arma de fogo, receptação, lesão corporal e violência doméstica.

Correio do Estado

05 de Dezembro de 2015 - 08:39

A Polícia Civil trabalha com hipótese de crime forjado para explicar a ossada humana encontrada no porta-malas de um veículo incendiado na quinta-feira (3), no km 359 da BR-262, entre Terenos e Sidrolândia. Mesmo assim, não está descartada a possibilidade de homicídio. As informações foram divulgadas nesta sexta-feira (4) pelos delegados da 7ª Delegacia de Polícia.

O delegado Geraldo Marim, que foi ao local do crime, pontuou que a cena era incomum, especialmente no que diz respeito ao estado dos ossos, aparentemente já em estado avançado de decomposição. Além disso, documentos de identificação e um boletim de ocorrência foram encontrados com um catador, próximo ao local onde a ossada foi localizada. 

"A Polícia Militar abordou esse catador e ele disse que tinha encontrado uma mochila com esses documentos", pontuou o delegado.

IDENTIFICAÇÃO

Dentre os documentos, cartão de banco e título de eleitor de um jovem identificado como Bruno Franco de Godoi, de 26 anos, desaparecido desde o dia 24 de novembro. 

No dia 22 de novembro, Franco foi vítima de uma tentativa de homicídio na casa em que morava no bairro Almeida Lima. Na ocasião, o suspeito teria perguntado sobre o relacionamento dele com a ex-mulher. 

Pouco antes, no dia 1º de setembro, Franco havia procurado a polícia afirmando ter sido ameaçado de morte. À época, ele contou que prometeram atear fogo nele o no carro dele. 

Ele tinha passagens na polícia por estelionato, ameaça, falsificação de documentos, porte de arma de fogo, receptação, lesão corporal e violência doméstica.

INVESTIGAÇÕES

Paulo Sá, delegado responsável pelo caso, afirma que a soma desse histórico leva a crer que o crime tenha sido forjado, mas não descarta a possibilidade de homicídio. "Ainda vamos ouvir muita gente: os vizinhos, a ex-mulher, o atual marido dela. Trabalhamos com várias hipóteses". 

O delegado afirma ter conversado com a mãe da vítima e a ex-mulher dele. "Ela disse que ele era uma pessoa instável". Na delegacia, ela disse ainda ter tido uma filha com Franco, mas ter registrado no nome de outro homem, fazendo com que ele procurasse a Justiça para fazer exame de comprovação de paternidade. 

O CASO 

Ossada humana foi encontrada no fim da manhã de quinta-feira (3), no porta-malas de um veículo Corsa Sedan incendiado, no km 359 da BR-262, entre Terenos e Sidrolândia. O carro possui placas da cidade de Ferraz de Vasconcelos, interior de São Paulo e a ossada pode ser de um jovem, de 26 anos, desaparecido no fim do mês passado.

Para incendiar o veículo, o autor do crime abriu o tanque do carro, molhou um boné com combustível fez um rastro de cerca de um metro e meio e ateou fogo. A polícia acredita que a vítima foi morta antes de ser incendiada.