Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Sexta, 22 de Outubro de 2021

Policial

Dirigentes políticos não acreditam no registro de novas legendas

Particularmente, o presidente regional do PRP, Dorival Betini, não acredita no deferimento do registro dessas novas legendas já valendo para as próximas eleições

Willams Araújo

20 de Setembro de 2013 - 16:26

A criação de novos partidos no país é vista com ressalvas por alguns dirigentes políticos em Mato Grosso do Sul, que embora favoráveis ao surgimento de outras legendas alegando o princípio democrático, não acreditam que haja tempo hábil para seus respectivos registros junto ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). 

A análise dos processos de criação do partido Solidariedade e do PROS no TSE foi adiada para a próxima terça-feira (24). O tema, inserido na pauta de quinta-feira (19) do tribunal, foi alvo de pedidos de vista, ou seja, mais prazo para análise.

No caso do Solidariedade, o pedido foi feito pelo Ministério Público Eleitoral. Já em relação ao PROS, o pedido foi realizado pela própria relatora do caso no TSE, ministra Laurita Vaz. De acordo com a lei eleitoral, os partidos têm até o próximo dia 5 para serem constituídos e, assim, participar das eleições do ano que vem. Em relação à Rede Sustentabilidade, projeto da ex-senadora Marina Silva, ainda não há previsão de data para análise do caso no TSE.

Particularmente, o presidente regional do PRP, Dorival Betini, não acredita no deferimento do registro dessas novas legendas já valendo para as próximas eleições. “Não há tempo para montar as bases nos municípios e por se tratar de eleições estaduais e federais as lideranças municipais não terão interesse em mobilizar. Os partidos que nascerem serão fracos e sem representatividade”, pontuou o dirigente.

Em sua avaliação, outro impeditivo seria a não efetivação da reforma política, em tramitação há anos no Congresso Nacional. “A reforma política não aconteceu, o que foi a grande jogada para a não criação de novos partidos pelo Palácio do Planalto e para a partido da Marina Silva não sair, portanto outros partidos que estão com o pedido de registro provavelmente não sairão do papel”, acrescentou.

Para se ter ideia da extensa lista de criação de novos partidos no país, somente em Mato Grosso do Sul estão em formação pelo menos 19 deles.

De acordo com o site do TRE/MS estão em fase de criação  Arena (Aliança Renovadora Nacional), Pai do Brasil (Partido dos Pensionistas, Aposentados e Idosos do Brasil), PC (Partido Cristão), PDN (Partido do Desenvolvimento Nacional), PEC (Partido Ecológico Cristão), PEC (Partido da Educação e Cidadania), PL (Partido Liberal), PLB (Partido Liberal Brasileiro), PLD (Partido Liberal Democrata), PLS (Partido da Liberdade Solidarista), PMB (Partido Militar Brasileiro), PMB (Partido da Mulher Brasileira), PN (Partido Novo), PPB (Partido Pacifista Brasileiro), PROS (Partido Republicano da Ordem Social), PS (Partido Social), PTS (Partido da Transformação Social), R. Sustentabilidade (Rede Sustentabilidade) e Solidariedade.

ENCONTRO

Betini adiantou que o PR promoverá um encontro regional em Campo Grande na próxima sexta-feira (27), no plenarinho da Câmara de Vereadores, para discutir os rumos visando às eleições do ano que vem.

Durante o encontro, o partido deve receber a adesão de novas lideranças políticas.

Devem participar do ato político, entre outras lideranças, o prefeito de Santa Rita do Pardo,  Cacildo Dagno Pereira, o vice-prefeito de Batayporã, José Antônio, e os 9 vereadores eleitos pelo partido, conforme antecipou o dirigente.