Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Quarta, 12 de Maio de 2021

Policial

Dois meses depois de grupo explodir banco, moradores têm que viajar por dinheiro

O único banco que operava na cidade era o Banco do Brasil, que teve agência explodida por assaltantes no dia 10 de novembro do ano passado.

Correio do Estado

13 de Janeiro de 2017 - 16:51

Dois meses depois de agência bancária ter sido explodida em Pedro Gomes, cidade que fica no extremo norte do Estado, moradores têm tido dificuldades para sacar dinheiro e pagar contas. Tudo porque há algumas semanas a Casa Lotérica e agência dos Correios, que possibilitavam as operações, começaram a funcionar até o meio-dia.

O único banco que operava na cidade era o Banco do Brasil, que teve agência explodida por assaltantes no dia 10 de novembro do ano passado. A destruição do prédio foi total e a polícia estimou, na época, que os bandidos conseguiram levar R$ 50 mil do local.

Com a suspensão das operações do banco, os 8 mil habitantes – conforme senso do IBGE de 2011 – dependem de Casa Lotérica e agência dos Correios para fazer alguns pagamentos e sacar dinheiro, com restrição de limite.

A situação já dificultava a vida dos moradores, mas há algumas semanas o transtorno é ainda maior porque os Correios e a Lotérica reduziram expediente pela metade. Ambos estabelecimentos abrem às 8 horas e fecham ao meio-dia.

Servidor público e morador da cidade que preferiu não se identificar disse ao Portal Correio do Estado que qualquer pessoa que necessite de dinheiro depois desse horário, precisa pedir emprestado ou viajar por mais de 50 quilômetros até Coxim, cidade mais próxima que possui agência bancária.

“Se você precisar de R$ 50, gasta mais pra viajar atrás do dinheiro, é uma situação que ninguém aguenta mais aqui na cidade”, conta o servidor público.

A reportagem tentou contato com a assessoria de imprensa do Banco do Brasil para informações sobre prazo para reabertura da agência em Pedro Gomes, mas nenhuma ligação foi atendida nesta manhã. Em relação ao funcionamento da Casa Lotérica, a Caixa Econômica Federal foi contatada, mas ainda não deu retorno sobre o assunto.