Logomarca

Um jornal a serviço do MS. Desde 2007 | Terça, 26 de Outubro de 2021

Policial

Em Dourados, Polícia prende professor acusado de filmar alunas nuas

O professor já tinha se apresentado no último dia 15, e iria responder o processo em liberdade.

Dourados Agora

23 de Março de 2011 - 08:00

Foi preso no fim da tarde de hoje (22) com um mandado de prisão preventiva o professor André Luiz de Oliveira, 36 anos, acusado de pedofilia, ele foi localizado no Parque Alvorada, na casa de um amigo em Dourados, cidade distante 233 quilômetros de Campo Grande.

O professor já tinha se apresentado no último dia 15, e iria responder o processo em liberdade.

Segundo a delegada Franciele Canaloti, o pedido encaminhado ao juiz foi feito após uma comoção pública em que muitos pais procuraram a delegacia para saber se havia ou não envolvimento de seus filhos com o caso.

Conforme ela, os pais entendem que com o professor solto pode continuar as gravações, ameaçar e coagir testemunhas.

Francielli conta que viu imagens de garotas entre 10 e 12 anos armazenadas em pen drive e da enteada do acusado, que conversava com a vítima via web cam, se passando por um adolescente. De acordo com a delegada, ele utilizava o apelido de pipoca para seduzir as vítimas na internet.

O professor no ano passado foi preso em flagrante por violência doméstica, após agredir a esposa, na época ele pagou fiança e foi solto.

O crime – O professor foi denunciado pela esposa no último dia (13) por filmar e fotografar a enteada e alunas nuas em uma escola particular de Dourados.

A mulher contou que procurou a Polícia depois de encontrar pen drive contendo as imagens. Ela relatou que não foi a primeira vez que encontrou material pornográfico feito pelo marido.

Há aproximadamente 1 ano, o professor mostrou à esposa uma fita de vídeo, segundo ela feita por ele próprio, contendo imagens de uma prima do suspeito nua. A mulher relata que somente chamou a atenção do marido, que por sua vez prometeu que não repetiria tal atitude.

Em outra ocasião a mulher disse ter encontrado uma mala contendo roupas íntimas femininas, fotos e vídeos de alunas do professor enquanto tomavam banho no vestiário do colégio.

Novamente o casal acabou brigando e o acusado fez outra promessa de não mais produzir imagens pornográficas.

Entretanto, a esposa relatou que último sábado (12) o marido chegou em casa por volta das 22 horas. Ela disse ter fingido que dormia e observou enquanto o acusado escondia um objeto em cima do guarda-roupa.

Depois que o professor adormeceu a mulher encontrou a pen drive com as imagens. Ela entregou, além do material encontrado, o notebook e uma foto do marido á Polícia e disse temer pela vida dela tendo em vista que o acusado tem comportamento violento.

O caso é investigado pela Polícia e foi registrado como adquirir, possuir ou armazenar, por qualquer meio, fotografia, vídeo ou outra forma de registro que contenha cena de sexo explícito ou pornografia envolvendo criança ou adolescente.